Porto Alegre, quinta-feira, 18 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Gestão

- Publicada em 20h57min, 18/03/2021. Atualizada em 21h02min, 18/03/2021.

BC anuncia saída de diretora Fernanda Nechio 'por razões pessoais'

Fernanda Guardado é economista chefe no Banco Bocom BBM desde 2019

Fernanda Guardado é economista chefe no Banco Bocom BBM desde 2019


Marcos Oliveira/Agência Senado/ Divulgação/ JC
O Banco Central anunciou nesta quinta-feira (18) que a diretora de Assuntos Internacionais e Riscos Corporativos, Fernanda Nechio, deixará a instituição, por razões pessoais. O presidente do BC, Roberto Campos Neto, indicou para a vaga o nome da economista Fernanda Magalhães Rumenos Guardado.
O Banco Central anunciou nesta quinta-feira (18) que a diretora de Assuntos Internacionais e Riscos Corporativos, Fernanda Nechio, deixará a instituição, por razões pessoais. O presidente do BC, Roberto Campos Neto, indicou para a vaga o nome da economista Fernanda Magalhães Rumenos Guardado.
Fernanda Guardado é economista chefe no Banco Bocom BBM desde 2019. De acordo com o BC, ela possui mais de 12 anos de experiência no mercado financeiro e é bacharel, mestre e PhD em Economia pela PUC-Rio.
Depois de dois anos na diretoria colegiada, Fernanda Nechio deve deixar o BC após a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), nos dias 3 e 5 de maio. De acordo com a autoridade monetária, a substituição poderá ocorrer antes disso, caso o nome de Fernanda Guardado seja aprovado pelo Senado e sua nomeação seja publicada pela Presidência da República até o começo de maio.
"Em nome do Banco Central, o presidente Roberto Campos Neto felicita a indicada Fernanda Guardado e agradece à diretora Fernanda Nechio pelos relevantes serviços prestados ao Banco Central e à Diretoria Colegiada", completou o BC, em nota.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO