Porto Alegre, domingo, 07 de março de 2021.
Dia do fuzileiro naval.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 07 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Inflação

- Publicada em 13h12min, 07/03/2021.

Vídeo sobre o aumento de preços no Brasil viraliza nas redes sociais

Carne está entre os alimentos cujos preços tiveram maior alta em 2020

Carne está entre os alimentos cujos preços tiveram maior alta em 2020


MARCELLO CASAL JR/ABR/JC
Um grupo anônimo fez viralizar nas redes sociais o vídeo da campanha #Bolsocaro. A peça, que tem 1 minuto e 14 segundos de duração, critica a inflação de itens comuns no dia a dia do brasileiro, como carne, batata, gasolina e gás de cozinha, após a eleição do presidente Jair Bolsonaro.
Um grupo anônimo fez viralizar nas redes sociais o vídeo da campanha #Bolsocaro. A peça, que tem 1 minuto e 14 segundos de duração, critica a inflação de itens comuns no dia a dia do brasileiro, como carne, batata, gasolina e gás de cozinha, após a eleição do presidente Jair Bolsonaro.
O vídeo já foi compartilhado por artistas como Anitta e Fábio Porchat, além de políticos, como Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (PSOL). Além de abordar o encarecimento dos preços, a peça também questiona os cheques depositados na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, pelo ex-assessor Fabrício Queiroz, e a casa de R$ 6 milhões comprada, em Brasília, pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).
"Todo dia tem preço alto no Brasil de #Bolsocaro! Nosso povo está pagando a conta desta crise que Bolsonaro agrava!", escreveu o ex-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes ao compartilhar o vídeo no Twitter.  
Os autores da campanha ainda espalharam por São Paulo cartazes com preços dos mesmos itens citados no vídeo acompanhados das frases: "Tá muito caro", "Tá na conta do Bolsonaro" e "Essa conta não é nossa". O vídeo vai de encontro a dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que no mês passado revisou a previsão para a inflação dos alimentos em 2021, quando corrigiu a projeção de 3% para 4,4% a alta nos preços da categoria.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO