Porto Alegre, quinta-feira, 04 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 04 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 17h07min, 04/03/2021.

Ouro fecha em baixa, por alta nos juros dos Treasuries e força do dólar

O ouro com entrega prevista para abril caiu 0,88%, a US$ 1700,7 a onça-troy

O ouro com entrega prevista para abril caiu 0,88%, a US$ 1700,7 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O ouro fechou em baixa nesta quinta-feira (4) pressionado pela continuidade do movimento de alta nos juros dos Treasuries e impactado pela força do dólar contra outras moedas fortes. O temor no mercado em relação ao aumento dos juros de títulos soberanos de longo prazo continuou. O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, disse que o movimento chamou sua atenção, mas voltou a minimizar os riscos inflacionários.
O ouro fechou em baixa nesta quinta-feira (4) pressionado pela continuidade do movimento de alta nos juros dos Treasuries e impactado pela força do dólar contra outras moedas fortes. O temor no mercado em relação ao aumento dos juros de títulos soberanos de longo prazo continuou. O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, disse que o movimento chamou sua atenção, mas voltou a minimizar os riscos inflacionários.
O ouro com entrega prevista para abril caiu 0,88%, a US$ 1700,7 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
"Mais uma vez, foi um novo aumento nos rendimentos dos títulos dos EUA que deprimiu o preço do ouro", diz o analista de metais preciosos Carsten Fritsch, do banco alemão Commerzbank.
O mercado aguardava uma posição de Powell sobre a inclinação da curva de juros americana, que preocupa os investidores. O dirigente usou o termo "volatilidade", mas disse que as condições financeiras estão "altamente acomodatícias" no momento.
"O ouro está tendo um ano terrível, com queda de quase 10%, e ainda parece muito vulnerável", afirma o analista de mercado financeiro Edward Moya, da OANDA. Segundo o profissional, se o mercado de Treasuries continuar a "ignorar" o Fed, o metal precioso pode ter mais "semanas difíceis".
Além do impacto da renda fixa, o ouro também foi pressionado pela valorização do dólar ante os pares. Com a alta da moeda americana, o metal fica mais caro para detentores de outras divisas, o que reduz a demanda.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO