Porto Alegre, quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado financeiro

- Publicada em 15h10min, 18/02/2021. Atualizada em 15h13min, 18/02/2021.

Bolsas da Europa fecham em baixa com perspectiva de alta da inflação e ata do BCE

 Investidores repercutiram a ata da última reunião de política monetária do Banco Central Europeu

Investidores repercutiram a ata da última reunião de política monetária do Banco Central Europeu


DANIEL ROLAND/AFP/JC
As bolsas da Europa fecharam o pregão em queda nesta quinta-feira (18), diante dos temores causados pela perspectiva de alta da inflação no continente. Investidores também repercutiram a ata da última reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), divulgada mais cedo, além de balanços corporativos de grandes empresas.
As bolsas da Europa fecharam o pregão em queda nesta quinta-feira (18), diante dos temores causados pela perspectiva de alta da inflação no continente. Investidores também repercutiram a ata da última reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), divulgada mais cedo, além de balanços corporativos de grandes empresas.
O índice pan-europeu Stoxx 600, que reúne as ações das principais companhias europeias, fechou em queda de 0,82%, aos 412,70 pontos.
Repetindo movimento de ontem, os mercados seguem pessimistas quanto às perspectivas para a inflação na Europa. A leitura é que uma possível disparada no nível de preços segure a recuperação econômica local após a crise do coronavírus. Diante deste cenário, investidores se voltam ao mercado de títulos públicos. O juro dos bônus soberanos da Alemanha de 30 anos, os chamados bunds, operavam a 0,157% próximo do horário de fechamento dos mercados.
Balanços trimestrais de empresas listadas também movimentaram as bolsas europeias hoje e contribuíram para o viés de baixa dos índices. O Barclays fechou em queda de 4,44% no FTSE 100 de Londres, após o banco divulgar lucro menor no 4º trimestre. O índice londrino fechou em baixa de 1,40%, aos 6.617,15 pontos. Em Paris, a ação do Carrefour recuou 0,61%, depois de ter subido durante a manhã. A rede de supermercados registrou queda no lucro em 2020. Já a ação da Airbus teve recuo maior, de 2,78%, com o prejuízo liquido em 2020 da companhia. O índice francês CAC 40 fechou em baixa de 0,65%, aos 5.728,33 pontos.
Já o DAX, de Frankfurt, registrou a menor queda entre os principais índices europeus hoje, de 0,16%, aos 13.886,93. Entre os destaques da bolsa alemã, a ação da Volkswagen avançou 4,64% após relatos na imprensa de que a montadora considera realizar IPO da Porsche, subsidiária de carros esportivos da empresa.
A divulgação da ata do BCE, sem grandes novidades segundo relatório da Capital Economics, não teve grandes repercussões nas bolsas. O documento reafirmou o compromisso da entidade monetária quanto à sua política monetária acomodatícia e apontou para os impactos da pandemia de covid-19 na economia europeia nos últimos meses e para o cenário a curto prazo.
Diante deste cenário, o índice IBEX 35, de Madri, recuou 0,80% nesta quinta, aos 8.058,10 pontos, seguido do FTSE MIB de Milão, que fechou em queda de 1,11%, aos 22.921,83 pontos. Já o PSI 20, de Lisboa, teve o pior desempenho entre os principais mercados europeus hoje e fechou na mínima do dia, em queda de 2,43%, aos 4.705,01 pontos, na mínima do dia.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO