Porto Alegre, quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado financeiro

- Publicada em 14h16min, 17/02/2021. Atualizada em 14h29min, 17/02/2021.

Bolsas da Europa fecham em queda com alta nos juros de títulos públicos

Na bolsa de Frankfurt, a principal na Alemanha,o DAX, se desvalorizou 1,10%, a 13.909,27 pontos

Na bolsa de Frankfurt, a principal na Alemanha,o DAX, se desvalorizou 1,10%, a 13.909,27 pontos


DANIEL ROLAND/AFP/JC
As bolsas da Europa fecharam em queda nesta quarta-feira (17), com investidores de olho no salto recente dos juros de títulos soberanos, em meio ao avanço nas expectativas para inflação. O índice pan-europeu Stoxx 600, que reúne as principais empresas da região, encerrou o pregão com perda de 0,74%, a 416,10 pontos.
As bolsas da Europa fecharam em queda nesta quarta-feira (17), com investidores de olho no salto recente dos juros de títulos soberanos, em meio ao avanço nas expectativas para inflação. O índice pan-europeu Stoxx 600, que reúne as principais empresas da região, encerrou o pregão com perda de 0,74%, a 416,10 pontos.
No período da manhã, o rendimento do bônus público da Alemanha de 30 anos subiu acima de 0,1% pela primeira vez desde maio de 2020, enquanto os retornos dos papéis americanos rondam os níveis máximos em um ano. O movimento coincide com a percepção de que forças inflacionárias podem ameaçar o processo de retomada.
O Departamento do Comércio dos EUA informou que o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) do país subiu 1,3% em janeiro ante dezembro bem acima da previsão dos analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de alta de 0,4%. No Reino Unido, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) acelerou a um aumento de 0,7% em janeiro ante igual mês do ano passado.
Com isso, o índice FTSE 100, de Londres, cedeu 0,56%, a 6.710,90 pontos.
"Combinado com aumentos bruscos nos preços de energia e commodities, há uma preocupação crescente de que os preços mais altos não apenas sufoquem qualquer recuperação pós-pandemia, devido aos custos de empréstimos mais altos, mas também possam prejudicar os gastos do consumidor futuro devido ao custo de vida mais alto", analisou Michael Hewson, analista-chefe de mercado da CMC Markets, em nota a clientes.
Nesse quadro, o CAC 40, de Paris, baixou 0,36%, a 5.765,84 pontos, enquanto, em Frankfurt, o DAX, se desvalorizou 1,10%, a 13.909,27 pontos.
Em Milão, o FTSE MIB recuou 1,12%, a 23.178,56 pontos. Em discurso no Parlamento, o novo primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, projetou que a economia local só deve retornar aos níveis pré-crise no final de 2022.
Nas praças ibéricas, o PSI 20, de Lisboa, perdeu 0,16%, a 4.822,12 pontos e, em Madri, o Ibex 35 caiu 0,38%, a 8.122,70 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO