Porto Alegre, quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.
Aniversário da Casa da Moeda do Brasil.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Serviços

- Publicada em 12h26min, 11/02/2021. Atualizada em 12h31min, 11/02/2021.

Serviços do Rio Grande do Sul caem 12,7% em 2020, em pior desempenho setorial na pandemia

Turismo voltou a ter forte queda em dezembro, que pode estar ligada a restrições como em praias

Turismo voltou a ter forte queda em dezembro, que pode estar ligada a restrições como em praias


NANÁ HAUSEN/DIVULGAÇÃO/JC
Patrícia Comunello
O quadro está completo, e os serviços foram o ramo de atividade mais afetado pela pandemia em 2020 no Rio Grande do Sul. Os dados da Pesquisa Mensal dos Serviçõs (PMS), liberados nesta quinta-feira (11) pelo IBGE, mostram que o setor teve queda de 12,7% no ano passado no Estado. Turismo foi um dos mais afetados.
O quadro está completo, e os serviços foram o ramo de atividade mais afetado pela pandemia em 2020 no Rio Grande do Sul. Os dados da Pesquisa Mensal dos Serviçõs (PMS), liberados nesta quinta-feira (11) pelo IBGE, mostram que o setor teve queda de 12,7% no ano passado no Estado. Turismo foi um dos mais afetados.
Pelos dados já divulgados, indústria teve recuo de 5,4% e o comércio, de 2,2%
Nos serviços, o desempenho estadual negativo foi quase o dobro em pontos percentuais que o verificado na média do Brasil, que teve queda de 7,8%. Já dezembro frente a novenbro de 2020, o setor teve recuo, mas muito próximo a zero, fechando a -0,3%. Na comparação com o mesmo mês de 2019, a redução do volume de serviços chegou a 7,9%, também quase o dobro do panorama do Brasil, que decresceu 3,3%.    
Em dezembro, os serviços prestados às famílias chegaram a cair 31,8%. No ano, o tombo foi de 38,1%, mostrando ter sido a maior influência sobre o setor. Outras quedas foram de 6,4% em transportes no último mês do ano e 12,8% nos 12 meses de 2020. A contratação de profissionais e setores administrativos tiveram redução de 5,9% e 11,8% no ano passado.
Neste grupo, estão as operações do tarde de tursimo, que desponta como um dos mais atingidos pelas restrições do novo coronavírus. O segmento teve queda de 1,9% no volume em dezembro frente a novembro, segundo menos no negativo, depois de ter registrado alta de 22,7% em outubro. Novembro recuou 1,3%, o que pode indicar algum efeito das medidas adotadas pelo governo gaúcho, como o fechamento da orla das praias devido ao aumento de casos de Covid-19.  
O setor turístico, único que teve o desempenho divulgado em detalhes pelo IBGE, teve queda de 37,7% em dezembro comparado ao mesmo mês de 2019. Nos 12 meses, o decréscimo chegou a 43,3%. 
A área de informação e comunicação, que abrange gastos com telefonia e internet, mesmo tendo grande demanda devido a home office, também teve recuos, de 3% em dezembro e 5,9% no ano.  
As receitas dos segmentos também seguiram em queda, de 8,1% no geral do Estado em dezembro e 12,2% em 12 meses. Nas demandas das famílias, a queda foi de mais de 30,7% em dezembro e de 36,2% em 12 meses. Transportes segue como segundo segmento mais afetado, com queda de 10,8% em dezembro e de 13,9% no ano. Serviços profissionais tiveram redução de 4,2% - em outubro, a queda foi de 13%. No ano, o setor caiu 10,2%.
Já comunicações ficaram quase estáveis no mês, com -0,2% de recuo na receita, mas o ano fechou em -4%. 
Comentários CORRIGIR TEXTO