Porto Alegre, quinta-feira, 04 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 04 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Portos

- Publicada em 03h00min, 04/02/2021.

Estaleiro gaúcho EBR é incluído em propostas da Petrobras

Plataforma P-74, da Petrobras, no valor de US$ 1,53 bilhão, ajudou a turbinar vendas externas gaúchas

Plataforma P-74, da Petrobras, no valor de US$ 1,53 bilhão, ajudou a turbinar vendas externas gaúchas


/Sadi Machado/Divulgação/JC
O estaleiro da EBR, em São José do Norte, no Sul do Rio Grande do Sul, entrou na disputa para a construção de plataformas de petróleo da Petrobras. O EBR e outro estaleiro, o Brasfels, de Angra dos Reis, são listados pelas três concorrentes estrangeiras para a montagem das plataformas P-78 e P-79.
O estaleiro da EBR, em São José do Norte, no Sul do Rio Grande do Sul, entrou na disputa para a construção de plataformas de petróleo da Petrobras. O EBR e outro estaleiro, o Brasfels, de Angra dos Reis, são listados pelas três concorrentes estrangeiras para a montagem das plataformas P-78 e P-79.
A informação foi divulgada na manhã desta quarta-feira (3) pela estatal em seu site. Três propostas foram pré-qualificadas para a licitação dos equipamentos que vão operar no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos, detalha a companhia.
As ofertas são das empresas Keppel (de Singapura), mais Samsung e Daewoo, ambos da Coreia do Sul. "Faz parte dos planos apresentados pelas licitantes a contratação de companhias nacionais, como os estaleiros Brasfels (Angra dos Reis-RJ) e EBR (São José do Norte-RS)", informou a Petrobras.
A conquista de encomendas vai possibilitar o ressurgimento do polo naval na região de Rio Grande, onde também tem o estaleiro da antiga Ecovix. Em janeiro, reportagem especial do Jornal do Comércio mostrou a expectativa e potencial para o setor. 
O último conjunto finalizado no estaleiro foi a P-74, despachada para os poços de petróleo do pré-sal em janeiro de 2018. 
A conclusão da concorrência está prevista para ocorrer ainda no primeiro semestre. A operação das plataformas deve ser em 2025. Cada uma terá capacidade para processar diariamente 180 mil barris de óleo e 7,2 milhões de metros cúbicos de gás.
Segundo a estatal, os grupos que disputam as encomendas confirmaram o atendimento ao conteúdo local de 25%. Os serviços serão feitos por meio de parceria ou subcontratação de empresas nacionais. O índice de conteúdo local é requisito do edital e previsto pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para o Excedente de Cessão Onerosa do campo de Búzios.
As duas plataformas serão do tipo FPSO, sigla em inglês para a unidade que produz, armazena e transfere petróleo e gás, esclarece a companhia, e farão parte da nova geração de plataformas, "que incorpora melhorias e lições aprendidas com a experiência nos últimos 10 anos no pré-sal e em outros projetos offshore".
Comentários CORRIGIR TEXTO