Porto Alegre, quinta-feira, 29 de abril de 2021.
Porto Alegre,
quinta-feira, 29 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 17h19min, 29/01/2021.

Petróleo fecha em baixa, com riscos à demanda por Covid e notícias do setor

O petróleo WTI para março fechou em baixa de 0,27%, em US$ 52,20 o barril

O petróleo WTI para março fechou em baixa de 0,27%, em US$ 52,20 o barril


Divulgação/BPImages
Os contratos futuros de petróleo chegaram a subir em parte do dia, porém terminaram em baixa nesta sexta-feira, 29. Os riscos trazidos pela Covid-19 e seus impactos na oferta continuaram como preocupação, mas investidores também avaliaram notícias do setor.
Os contratos futuros de petróleo chegaram a subir em parte do dia, porém terminaram em baixa nesta sexta-feira, 29. Os riscos trazidos pela Covid-19 e seus impactos na oferta continuaram como preocupação, mas investidores também avaliaram notícias do setor.
O petróleo WTI para março fechou em baixa de 0,27%, em US$ 52,20 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), com queda de 1,75% na comparação semanal.
O Brent para abril recuou 0,11%, a US$ 55,04 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).
A Covid-19 e seus riscos à demanda seguem no radar de investidores. A União Europeia, por exemplo, tem pressionado a AstraZeneca, afirmando que a empresa não tem feito as entregas combinadas anteriormente.
Nesta sexta, o bloco aprovou a vacina da empresa, mas voltou a pressionar para que as entregas sejam cumpridas. O ritmo da vacinação ainda enfrenta dificuldades em várias partes do mundo, por isso analistas em geral têm descartado um reviravolta no curto prazo na doença, prevendo quadro melhor sobretudo no segundo semestre.
Por outro lado, a notícia de que o fundo soberano da Noruega vendeu todo seu portfólio de empresas focadas na exploração e produção de petróleo contribuiu para apoiar a commodity, já que pode significar menos capital para investimentos e produção adiante. A informação chegou a levar para cima os contratos, mas sem impulso ao longo do dia.
Também nesta sexta, a Baker Hughes informou que o número de poços e plataformas de petróleo em atividade subiu seis na semana nos Estados Unidos, a 295.
O Rabobank comenta que o preço do barril do Brent tem oscilado nas últimas três semanas entre US$ 54 e US$ 56. O banco vê um quadro de consolidação no óleo, e menor volatilidade, com alguns fundos comprando mais contratos futuros, mas também deterioração nos fundamentos.
A Capital Economics, por seu turno, aponta que a retomada de preocupações com lockdowns relacionados à Covid-19 funciona como um freio para os preços do petróleo, "o que suspeitamos que prosseguirá até que ocorra um progresso razoável nas vacinas entre as principais economias, até meados deste ano".
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário