Porto Alegre, terça-feira, 09 de fevereiro de 2021.
Dia do Zelador.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 09 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Conjuntura

- Publicada em 09h57min, 14/01/2021. Atualizada em 10h27min, 09/02/2021.

Indústria gaúcha cresce 3,8% em novembro e fica acima da média nacional, diz IBGE

Resultados mostram a ampliação da volta à produção após as interrupções causadas pela pandemia

Resultados mostram a ampliação da volta à produção após as interrupções causadas pela pandemia


JONATHAN HECKLER/ARQUIVO/JC
A produção industrial brasileira avançou 1,2% em novembro de 2020 em dez dos 15 locais pesquisados na comparação com outubro, refletindo a ampliação do retorno à produção após as interrupções causadas pela pandemia. O Rio Grande do Sul teve alta de 3,8%.
A produção industrial brasileira avançou 1,2% em novembro de 2020 em dez dos 15 locais pesquisados na comparação com outubro, refletindo a ampliação do retorno à produção após as interrupções causadas pela pandemia. O Rio Grande do Sul teve alta de 3,8%.
Segundo o IBGE, outras elevações foram verificadas na Bahia (4,9%), no Amazonas (3,4%), na Região Nordeste (2,9%), em Santa Catarina (2,8%), no Ceará (1,7%), no Rio de Janeiro (1,6%) e em São Paulo (1,5%). Os demais locais com resultados positivos no penúltimo mês de 2020 foram Paraná (1,2%) e Minas Gerais (0,6%).
As quedas mais acentuadas foram registradas no Pará (-5,3%) e em Mato Grosso (-4,3%), além de Pernambuco (-1,0%), Espírito Santo (-0,9%) e Goiás (-0,9%).
Com o resultado do penúltimo mês do ano passado, a sétima alta seguida, o Rio Grande do Sul acumula expansão de 67% no período maio-novembro de 2020.
Na comparação com novembro de 2019, a produção industrial brasileira cresceu 2,8%, com resultados positivos em dez dos 15 locais pesquisados. No caso do Rio Grande do Sul, a alta nessa base de comparação foi de 8,7%.
Entre os setores pesquisados, na comparação com novembro de 2019, se destacaram no RS a fabricação de máquinas e equipamentos (23,5%), fabricação de outros produtos químicos (18,6%) e metalurgia (18,4%), entre outros. Já a fabricação de produtos alimentícios teve recuo de 6,6% e a fabricação de veículos automotores caiu 1,4% na mesma base de comparação.
No acumulado no ano, frente a 2019, a redução verificada na produção nacional alcançou 12 dos 15 locais pesquisados, com destaque para Espírito Santo (-15,9%), Ceará (-8,2%) e Rio Grande do Sul (-7,4%).
O acumulado em 12 meses recuou 5,2% em novembro, com redução na intensidade de perda frente a outubro (-5,6%). Houve taxas negativas em 12 dos 15 locais pesquisados, porém com 10 quedas menos intensas do que em outubro. O Espírito Santo (de -18,3% para -16,6%), Paraná (de -5,2% para -3,8%), Santa Catarina (de -6,8% para -5,6%) e Rio Grande do Sul (de -8,1% para -7,0%) mostraram os principais ganhos entre outubro e novembro de 2020.
Comentários CORRIGIR TEXTO