Porto Alegre, sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 19h07min, 08/01/2021.

Bolsas de NY fecham em alta e renovam recorde com foco em estímulo fiscal

O Nasdaq avançou 1,03%, a 13.201,98 pontos

O Nasdaq avançou 1,03%, a 13.201,98 pontos


MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL/JC
Os mercados acionários de Nova York renovaram recorde histórico de fechamento, nesta sexta-feira (8). Os índices chegaram a oscilar em baixa à tarde, em meio a relatos de divergências no Partido Democrata sobre mais estímulos fiscais nos Estados Unidos, mas retomaram a força, à espera de medidas do presidente eleito Joe Biden nessa frente, deixando em segundo plano um dado fraco do mercado de trabalho.
Os mercados acionários de Nova York renovaram recorde histórico de fechamento, nesta sexta-feira (8). Os índices chegaram a oscilar em baixa à tarde, em meio a relatos de divergências no Partido Democrata sobre mais estímulos fiscais nos Estados Unidos, mas retomaram a força, à espera de medidas do presidente eleito Joe Biden nessa frente, deixando em segundo plano um dado fraco do mercado de trabalho.
O Dow Jones fechou em alta de 0,18%, em 31.097,97 pontos, o S&P 500 teve alta de 0,55%, a 3.824,68 pontos, e o Nasdaq avançou 1,03%, a 13.201,98 pontos. Na comparação semanal, o Dow Jones subiu 1,61%, o S&P 500 ganhou 1,83% e o Nasdaq, 2,43%.
Os índices futuros já subiam pela manhã, mas perderam força após o relatório mensal de empregos. O payroll mostrou fechamento de 140 mil vagas na economia dos EUA em dezembro, pior do que a previsão dos analistas. Ainda assim, as bolsas exibiram ganhos no começo da jornada.
À tarde, houve mínimas após a imprensa americana dizer que um senador democrata era contrário a mais pagamentos de cheques diretos aos americanos. Mas ainda houve tempo para o quadro melhorar, após Biden voltar a falar em estímulos fiscais, que segundo ele devem ficar na casa dos trilhões de dólares.
Na avaliação do Barclays, a vitória democrata na disputa pelo controle do Senado, após duas eleições em segundo turno na Geórgia, consolida a expectativa de mais apoio fiscal.
Entre os setores, não houve sinal único em Nova York, com baixas por exemplo no financeiro, após ganhos recentes, mas altas em tecnologia e serviços de comunicação. Entre ações importantes, Boeing caiu 1,32%, mas Apple subiu 0,86% e Microsoft, 0,61%.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO