Porto Alegre, quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado de Capitais

- Publicada em 20h25min, 06/01/2021. Atualizada em 10h21min, 07/01/2021.

Fed espera manter políticas até meta de inflação ser alcançada

Federal Reserve informou que demanda mais fraca e a queda nos preços do petróleo têm contido a inflação ao consumidor.

Federal Reserve informou que demanda mais fraca e a queda nos preços do petróleo têm contido a inflação ao consumidor.


MANDEL NGNAN/AFP/JC
Os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) reafirmaram seu compromisso de manter uma política monetária "acomodatícia", até que a meta de inflação nos Estados Unidos seja alcançada. A declaração consta da ata divulgada nesta quarta-feira (6), da mais recente reunião de política monetária do Fed, realizada em 15 e 16 de dezembro.
Os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) reafirmaram seu compromisso de manter uma política monetária "acomodatícia", até que a meta de inflação nos Estados Unidos seja alcançada. A declaração consta da ata divulgada nesta quarta-feira (6), da mais recente reunião de política monetária do Fed, realizada em 15 e 16 de dezembro.
Os dirigentes afirmam no documento que a demanda mais fraca e a queda nos preços do petróleo têm contido a inflação ao consumidor.
Com isso, o BC revisou "levemente em baixa" sua projeção para a inflação em 2020. Já com a reação prevista da atividade, a expectativa dos dirigentes é de gradual aumento dos preços. A ata projeta que "em algum momento nos anos para além de 2023, a inflação projetada irá superar 2% em nível moderado, enquanto a política monetária segue acomodatícia".
O Fed diz que a crise da covid-19 continua a pesar em várias frentes, como na atividade, no emprego e também na inflação, no curto prazo.
Ao mesmo tempo, os dirigentes acreditam que, com o apoio da política monetária, a inflação ganhará força ao longo do tempo. A ata nota ainda que as pressões inflacionárias estão contidas na maioria dos países pelo mundo, diante de ociosidade considerável nas economias.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO