Porto Alegre, quarta-feira, 23 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 19h06min, 23/12/2020.

Ibovespa acompanha tom positivo no exterior e fecha em alta de 1,00%

No melhor momento do dia, o Ibovespa chegou a marcar 118.311,44 pontos (+1,44%)

No melhor momento do dia, o Ibovespa chegou a marcar 118.311,44 pontos (+1,44%)


MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/JC
O Índice Bovespa seguiu a influência positiva do mercado internacional e terminou o pregão desta quarta-feira (23) em alta de 1,00%, aos 117.806,85 pontos, elevando os ganhos de dezembro para 8,19%. Em terreno positivo desde a abertura, o indicador ganhou maior tração à tarde, com a consolidação do sinal positivo no exterior, apesar da redução da liquidez na B3.
O Índice Bovespa seguiu a influência positiva do mercado internacional e terminou o pregão desta quarta-feira (23) em alta de 1,00%, aos 117.806,85 pontos, elevando os ganhos de dezembro para 8,19%. Em terreno positivo desde a abertura, o indicador ganhou maior tração à tarde, com a consolidação do sinal positivo no exterior, apesar da redução da liquidez na B3.
As altas na Europa e Estados Unidos levaram em conta a expectativa de acordo comercial entre o Reino Unido e a União Europeia e ainda o pacote fiscal nos EUA, apesar das críticas de Donald Trump aos US$ 900 bilhões aprovados no Congresso. Por aqui, o alívio com a não votação da PEC dos municípios continuou a produzir efeitos positivos. Em um dia de agenda econômica movimentada, o destaque ficou com os dados positivos de criação de emprego no Brasil em novembro, que vieram acima das estimativas mais otimistas.
"Os investidores estrangeiros continuam retomando posição em Brasil, comprando commodities e bancos", afirmou Régis Chinchila, gerente de renda variável da Terra Investimentos.
Embora o pregão tenha sido de ganhos de ponta a ponta, o profissional lembra que a Covid-19 segue no radar dos investidores e afirma que nos próximos dias o mercado deve manter fidelidade ao lema escoteiro: "Sempre alerta com coronavírus, vacinas e impactos do lockdown", apontou Chinchila. Vale lembrar que a segunda-feira foi marcada por forte aversão ao risco nos mercados mundiais, com os agentes repercutindo o surgimento de nova cepa do coronavírus no Reino Unido.
No melhor momento do dia, o Ibovespa chegou a marcar 118.311,44 pontos (+1,44%), com alta praticamente generalizada entre as blue chips do mercado. Ações do setor financeiro, elétrico e petróleo foram destaque. Os papéis da Petrobras terminaram o dia com ganhos de 2,16% (ON) e de 2,46% (PN), embalados pela alta expressiva dos contratos futuros de petróleo, refletindo a expectativa pelo acordo pós-Brexit. As ações também ganharam impulso com o anúncio de que a estatal concluiu a venda de sua participação na Liquigás. Já Vale ON teve alta de 0,48%, apesar da queda do minério de ferro no mercado chinês.
Entre as ações que compõem o Ibovespa, destaque ainda para os papéis do setor aéreo, com Azul (+6,89%) e Gol PN (+5,32%) na lista das maiores altas. O setor de varejo reagiu positivamente ao dado do Caged indicando abertura de 414.556 vagas em novembro, mas nem todas as ações sustentaram os ganhos. Ao final do dia, Via Varejo ON subiu 1,19%, enquanto Magazine Luiza ON perdeu 0,76%.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO