Porto Alegre, quarta-feira, 23 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 14h22min, 23/12/2020.

Bolsas da Europa fecham em alta, na expectativa por acordo pós-Brexit

Índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,08%, para 395.49 pontos

Índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,08%, para 395.49 pontos


GABRIELA DI BELLA/ARQUIVO/JC
A notícia que não uma, mas duas, cepas mais infecciosas do novo coronavírus está circulando no Reino Unido não tirou o fôlego das bolsas europeias, que fecharam o dia em alta, impulsionadas pela expectativa de um acordo pós-Brexit. Ainda sem confirmação, a informação de que um acordo já teria sido fechado, mas ainda falta ser formalizado, garantiu o apetite dos investidores no mercado acionário europeu. O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,08%, para 395.49 pontos.
A notícia que não uma, mas duas, cepas mais infecciosas do novo coronavírus está circulando no Reino Unido não tirou o fôlego das bolsas europeias, que fecharam o dia em alta, impulsionadas pela expectativa de um acordo pós-Brexit. Ainda sem confirmação, a informação de que um acordo já teria sido fechado, mas ainda falta ser formalizado, garantiu o apetite dos investidores no mercado acionário europeu. O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,08%, para 395.49 pontos.
Em Londres, o índice FTSE 100 teve alta de 0,66%, aos 6495,75 pontos, com destaque para o setor financeiro. As ações do Lloyds dispararam 7%, acompanhadas por NatWest (+5,04%) e AIG (+6,27%). Já as ações da AstraZeneca caíram 1,42%, apesar do avanço da Covid-19 pelo país e as expectativas em torno da vacinação. Ontem, a empresa informou que sua vacina contra Covid-19 deve ser eficaz contra a nova variante do coronavírus.
Hoje, o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, afirmou que existem dois casos de outra nova variante de coronavírus no Reino Unido, ambos provenientes da África do Sul. A informação não causou alvoroço no mercado, que ainda reagia à expectativa pelo acordo pós-Brexit e à abertura das fronteiras entre França e Reino Unido, que ficaram fechadas por 48 horas na tentativa de prevenir a disseminação da nova cepa do coronavírus. Em Paris, o CAC 40 fechou em alta de 1,11%, aos 5527,59 pontos, puxadas pelos papéis da Airbus (+4,56%) e do Société Générale (+4,18%).
O setor financeiro também se sobressaiu na Itália. As ações do Unicredit avançaram 2,23%, acompanhadas pelas do Intesa Sanpaolo, que subiram 1,69%. O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, fechou em alta de 1,31%, aos 22130,18 pontos.
Em Frankfurt, foram as montadoras que deram fôlego ao índice DAX, que subiu 1,26%, para 13587,23 pontos. Os destaques ficaram com as ações da Daimler (+3,19%), Volkswagen (+2,37%) e da fabricante de autopeças Continental (+3,06%).
Já em Madri, o Ibex 35 registrou alta de 1,76%, aos 8073,60 pontos, depois que o governo espanhol informou que o produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 16,4% entre o segundo e o terceiro trimestre. Em Lisboa, o índice PSI 20 fechou em alta de 2,10%, aos 4825,28 pontos.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO