Porto Alegre, quarta-feira, 23 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado de Capitais

- Publicada em 03h00min, 23/12/2020.

Vendas do Tesouro Direto voltam a superar resgates após cinco meses

Em novembro, os investidores compraram R$ 28,3 milhões a mais de títulos públicos do que o Tesouro recomprou ou pagou no vencimento

Em novembro, os investidores compraram R$ 28,3 milhões a mais de títulos públicos do que o Tesouro recomprou ou pagou no vencimento


TESOURO NACIONAL/REPRODUÇÃO/JC

Pela primeira vez em cinco meses, as vendas do Tesouro Direto (programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas pela internet) superaram os resgates. Em novembro, os investidores compraram R$ 28,3 milhões a mais de títulos públicos do que o Tesouro recomprou ou pagou no vencimento.

Pela primeira vez em cinco meses, as vendas do Tesouro Direto (programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas pela internet) superaram os resgates. Em novembro, os investidores compraram R$ 28,3 milhões a mais de títulos públicos do que o Tesouro recomprou ou pagou no vencimento.

Em novembro, as vendas do Tesouro Direto somaram R$ 1,547 bilhão, com recuo de 17,1% em relação ao volume vendido no mesmo mês do ano passado (R$ 1,865 bilhão). Os resgates somaram R$ 1,519 bilhão. Os resgates representam a soma das recompras - quando os investidores se desfazem dos papéis antes da data - e do vencimento - quando os investidores esperam o título vencer e embolsam os rendimentos.

A emissão líquida, quando as vendas superam os resgates, indicam que o mercado de títulos públicos começou a estabilizar-se em novembro. A pandemia de covid-19 e a alta da inflação dos alimentos provocaram desequilíbrios no mercado financeiro que fizeram investidores venderem papéis do Tesouro Direto com maior intensidade nos últimos meses.

Apesar de a taxa Selic (juros básicos da economia) estar em 2% ao ano, abaixo da inflação acumulada em 12 meses, os títulos atrelados a esse indexador responderam pela maior parte das vendas, concentrando 36,9% do valor vendido. Em seguida, vêm os papéis corrigidos pela inflação, que corresponderam a 36,7% do total.

Em terceiro lugar, estão os papéis prefixados (com juros definidos com antecedência), que representaram 26,5% do volume vendido em novembro. Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores. As vendas abaixo de R$ 1 mil concentraram 69,6% do volume aplicado no mês

Com o resultado de novembro, o estoque de títulos públicos aplicados no Tesouro Direto subiu 0,9% em relação a outubro, alcançando R$ 62,07 bilhões. A variação do estoque representa a diferença entre as vendas e os resgates, mais o reconhecimento dos juros que incidem sobre os títulos.

Comentários CORRIGIR TEXTO