Porto Alegre, terça-feira, 22 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 22 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h57min, 22/12/2020.

Ouro fecha em queda com dólar forte em meio a incertezas derivadas da pandemia

Ouro com entrega para fevereiro encerrou em baixa de 0,66%, a US$ 1.870,30 a onça-troy

Ouro com entrega para fevereiro encerrou em baixa de 0,66%, a US$ 1.870,30 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O contrato futuro mais líquido de ouro fechou em queda nesta terça-feira (22) pressionado pelo fortalecimento do dólar, em meio a sinais de desaceleração da economia global, na esteira da recente onda de casos de coronavírus.
O contrato futuro mais líquido de ouro fechou em queda nesta terça-feira (22) pressionado pelo fortalecimento do dólar, em meio a sinais de desaceleração da economia global, na esteira da recente onda de casos de coronavírus.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange, o ouro com entrega prevista para fevereiro encerrou em baixa de 0,66%, a US$ 1.870,30 a onça-troy.
Enquanto ainda repercutem a notícia de que o Reino Unido identificou uma nova cepa do coronavírus, investidores monitoram a trajetória da atividade econômica, cuja recuperação é ameaçada pelos desdobramentos negativos da pandemia.
Nos Estados Unidos, o índice de confiança de consumidor caiu de 92,9 em novembro para 88,6 em dezembro, segundo o Conference Board. O resultado contrariou a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta a 97,5.
A fraqueza da maior economia do planeta estimulou a demanda pelo dólar, que ganhou impulso maior hoje e recuperou parte das perdas recentes. Com a divisa americana forte, commodities tendem a ficar mais caras e, portanto, menos atraente. "Agora que o Congresso entregou uma orçamento de US$ 2,3 trilhões e um pacote de alívio fiscal, o ouro terá que esperar o próximo ano para ter um novo catalisador", explica o analista Edward Moya, da Oanda.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO