Porto Alegre, segunda-feira, 21 de dezembro de 2020.
Dia do Atleta. Início do Verão.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 21 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 18h11min, 21/12/2020.

Petróleo fecha em queda de mais de 2% com novas dúvidas sobre Covid-19

O contrato para fevereiro do WTI negociado na Nymex fechou em queda de 2,58% (US$ 1,27)

O contrato para fevereiro do WTI negociado na Nymex fechou em queda de 2,58% (US$ 1,27)


ROBYN BECK/AFP/JC
As dúvidas geradas pelas mutações apresentadas pelo novo coronavírus alimentaram as dúvidas dos investidores sobre o ritmo de recuperação da economia mundial nos próximos meses e derrubaram os preços do petróleo no mercado internacional.
As dúvidas geradas pelas mutações apresentadas pelo novo coronavírus alimentaram as dúvidas dos investidores sobre o ritmo de recuperação da economia mundial nos próximos meses e derrubaram os preços do petróleo no mercado internacional.
O contrato para fevereiro do WTI negociado na Nymex fechou em queda de 2,58% (US$ 1,27), a US$ 47,97 por barril, enquanto o Brent para o mesmo mês comercializado na Intercontinental Exchange (ICE) também baixou 2,58% (US$ 1,35), para US$ 50,91 por barril.
"O mercado elevou os preços do petróleo nas últimas semanas pensando que a pandemia estava ficando sob controle devido ao surgimento da vacina", observa a Rystad Energy. "No entanto, os preços estavam altos demais em relação à incerteza, o que explica a queda acentuada quando o primeiro revés apontou hoje."
Para o vice-primeiro-ministro da Rússia, Alexander Novak, a recuperação dos mercados de petróleo globais tem sido mais lenta do que se esperava e deverá demorar dois a três anos. Segundo a Reuters, Novak disse hoje que a produção de petróleo deverá ser restaurada em linha com o aumento na demanda, mas provavelmente não resultará em excesso de oferta.
*Com informações da Dow Jones Newswires
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO