Porto Alegre, quinta-feira, 10 de dezembro de 2020.
Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 10 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h12min, 10/12/2020. Atualizada em 08h14min, 10/12/2020.

Bolsas da Ásia fecham em queda na maioria, com impasse fiscal nos EUA e Covid

Investidores seguem atentos ao avanço da Covid-19

Investidores seguem atentos ao avanço da Covid-19


Camila Surian/Arte/JC
As bolsas da Ásia fecharam na maioria em território negativo, com investidores atentos ao avanço da Covid-19 e a seus impactos na atividade. A dificuldade de os Estados Unidos aprovarem mais estímulo fiscal também foi mencionada como motivo para a fraqueza nas praças, já que isso pesa nas expectativas globais.
As bolsas da Ásia fecharam na maioria em território negativo, com investidores atentos ao avanço da Covid-19 e a seus impactos na atividade. A dificuldade de os Estados Unidos aprovarem mais estímulo fiscal também foi mencionada como motivo para a fraqueza nas praças, já que isso pesa nas expectativas globais.
Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei terminou em baixa de 0,23%, em 26.756,24 pontos, puxado pelos recuos nas ações de eletrônicos, um dia após o Nikkei atingir nova máxima em 29 anos. Há foco no Japão sobre as políticas do país para se tornar neutro em suas emissões de carbono no futuro, bem como para o aumento da digitalização.
Na China, a Bolsa de Xangai registrou alta de 0,04%, a 3.373,28 pontos, passando ao território positivo nos ajustes finais, em pregão no qual oscilou entre ganhos e perdas. A Bolsa de Shenzhen, de menor abrangência, registrou alta de 0,12%, para 2.358,16 pontos. Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou com queda de 0,35%, em 26.410,59 pontos. Analistas locais citaram a falta de avanço nas conversas por mais estímulos fiscais nos Estados Unidos e a queda nas bolsas de Nova York no pregão anterior como causas. Sunny Optical recuou 3,4% e Bank of Communications, 2,8%, entre algumas ações em foco.
Na Coreia do Sul, o índice Kospi recuou 0,33% em Seul, a 2.746,46 pontos, com realização de lucros após ele atingir recorde de fechamento no pregão anterior. Ações importantes de eletrônicos e automotivas recuaram e novo avanço da Covid-19 no país também esteve no radar. Em Taiwan, o índice Taiex registrou baixa de 0,98%, a 14.249,49 pontos.
Na Oceania, na Bolsa de Sydney o índice S&P/ASX 00 teve queda de 0,67%, a 6.683,10 pontos, com ações de tecnologia sob pressão na Austrália. A empresa de "Machine Learning" Appen caiu 12%, após revisar para baixo projeções de resultados no ano fiscal.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO