Porto Alegre, sábado, 05 de dezembro de 2020.
Dia Internacional dos Voluntários.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 05 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 13h59min, 05/12/2020. Atualizada em 14h59min, 05/12/2020.

Kalunga pede autorização à CVM para fazer abertura de capital na B3

A rede de papelarias Kalunga pediu na noite de ontem registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). A companhia pretende listar seus papeis no Novo Mercado da B3, com esforços de venda no Brasil e no exterior, de acordo com o prospecto preliminar da oferta.
A rede de papelarias Kalunga pediu na noite de ontem registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). A companhia pretende listar seus papeis no Novo Mercado da B3, com esforços de venda no Brasil e no exterior, de acordo com o prospecto preliminar da oferta.
A Kalunga pretende usar os recursos da oferta primária (emissão de novas ações) para investimentos em novas lojas, abertura de um centro de distribuição no Nordeste, além do reforço e adequação na estrutura de capital da companhia e fortalecimento de suas operações de gráfica rápida nas lojas.
O IPO da Kalunga, será coordenado pelo BTG Pactual, o líder da operação, além do Bradesco BBI, XP e UBS-BB. Na venda secundária de ações, os sócios Paulo Sérgio Menezes Garcia e José Roberto Menezes Garcia vão se desfazer de parte de seus papeis. O jornal Estado de S. Paulo apurou que a operação pode movimentar ao todo R$ 1 bilhão, em venda de ações primária e secundária.
No prospecto, a empresa destaca que é "líder absoluta em vendas", com 13,1% de market share nacional no segmento de suprimentos para escritório e material escolar, mercado que movimentou R$ 17,6 bilhões no ano passado. Em 2019, a Kalunga registrou receita líquida de R$ 2,098 bilhões. Criada em 1972, a Kalunga tem 222 lojas em 20 estados do país e no Distrito Federal.
Comentários CORRIGIR TEXTO