Porto Alegre, sábado, 28 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 28 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Varejo

- Publicada em 17h45min, 28/11/2020. Atualizada em 17h53min, 28/11/2020.

Black Friday tem 9.160 reclamações, diz Reclame Aqui; alta é de 4,09% ante 2019

Entre as dez empresas mais reclamadas, as companhias do chamado Universo Americanas se destacam

Entre as dez empresas mais reclamadas, as companhias do chamado Universo Americanas se destacam


MARIANA CARLESSO/arquivo/JC
O site Reclame Aqui registrou 9.160 reclamações em sua cobertura da Black Friday, iniciada na quarta-feira (25) e encerrada na sexta-feira (27), um aumento de 4,09% sobre o ano passado, quando foram 8.800 ocorrências em sua plataforma. De acordo com o levantamento, 27,01% das reclamações foram sobre propagandas enganosas, seguida de problemas na finalização da compra (10,12%) e divergência de valores (9%).
O site Reclame Aqui registrou 9.160 reclamações em sua cobertura da Black Friday, iniciada na quarta-feira (25) e encerrada na sexta-feira (27), um aumento de 4,09% sobre o ano passado, quando foram 8.800 ocorrências em sua plataforma. De acordo com o levantamento, 27,01% das reclamações foram sobre propagandas enganosas, seguida de problemas na finalização da compra (10,12%) e divergência de valores (9%).
Entre as dez empresas mais reclamadas, as companhias que compõem o chamado Universo Americanas se destacam.
O marketplace terceirizado das Lojas Americanas teve o maior número de chamados, com 471, enquanto sua loja online ficou em 4º (289), a Ame Digital em 6º (207) e o marketplace terceirizado da Submarino, ficou em 10º (148).
Kabum ficou em segundo lugar, com 306 reclamações, a loja online da Magazine Luíza em 3º (292), Casas Bahia em 5º (256), Riachuelo em 7º (170), iFood em 8º (164) e Lojas Renner em 9º (158) completam a lista.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO