Porto Alegre, quinta-feira, 26 de novembro de 2020.
Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 26 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h03min, 26/11/2020.

Bolsas da Europa fecham em baixa, em meio à falta de liquidez e cautela com Covid

Índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,12%, aos 391,63 pontos

Índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,12%, aos 391,63 pontos


MIGUEL MEDINA/AFP/JC
As bolsas da Europa encerraram o pregão em leve baixa, após oscilar durante a sessão, em meio à falta de liquidez devido ao feriado Ação de Graças nos EUA, que mantém as bolsas de Nova York fechadas. As incertezas geradas pela pandemia de Covid-19 contribuem para a cautela. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,12%, aos 391,63 pontos.
As bolsas da Europa encerraram o pregão em leve baixa, após oscilar durante a sessão, em meio à falta de liquidez devido ao feriado Ação de Graças nos EUA, que mantém as bolsas de Nova York fechadas. As incertezas geradas pela pandemia de Covid-19 contribuem para a cautela. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,12%, aos 391,63 pontos.
Nesta quinta, o economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, destacou que o impacto macroeconômico da pandemia "provavelmente persistirá" mesmo depois que as condições de saúde melhorarem com a aprovação e distribuição de vacinas.
Na Itália, onde o vírus vem deixando um grande número de mortos, as perspectivas negativas para a economia levaram o FTSE MIB a recuar 0,46%, a 22.201,44 pontos.
No Reino Unido, embora tenha sido anunciado o fim do lockdown nacional, as medidas regionais seguirão mantendo restrições de mobilidade na maior parte do território, em virtude da alta presença do vírus.
Além disso, o ministro das Relações Exteriores da Irlanda, Simon Coveney, descreveu nesta quinta que as conversas entre União Europeia e Reino Unido pelo Brexit estão muito difíceis. Em Londres, o FTSE caiu 0,44%, a 6.362,93 pontos.
Na Alemanha, as restrições para conter a escalada da pandemia devem permanecer em vigor até janeiro, de acordo com a chanceler Angela Merkel. Além disso, a confiança do consumidor no país, divulgada nesta quinta, recuou.
Em Frankfurt, o DAX caiu 0,02%, 13.286,57 pontos. Em setor volátil à circulação de pessoas, a Lufthansa teve baixa de 1,93% nas ações.
O cenário negativo para uma retomada econômica levou empresas do setor de petróleo a sofrerem perdas. A Repsol recuou 3,16% em Madri, e ajudou o IBEX 35 a fechar em baixa de 0,74%, a 8.104,60. BP (-1,51%), Eni (-1,31%) e Total (-0,98%) pressionaram índices. A Galp recuou 2,94% em Lisboa. Além disso, em meio à notícias negativas sobre socorros no setor bancário do país, o BCP Millenium fechou com baixa 2,94% nas ações. O PSI 20 foi pressionado por ambas as empresas, e recuou 0,46%, a 4.607,25 pontos.
Tecnologia e comunicação tiveram alguns dos melhores desempenhos na sessão.
Na França, a Orange avançou 1,20%, e minimizou as perdas do CAC 40 em Paris, que recuou 0,08%, a 5.566,79 pontos.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO