Porto Alegre, terça-feira, 17 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 17 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 18h53min, 17/11/2020.

Petróleo fecha misto após frustração com possível corte na produção da Opep+

Petróleo fecha misto após frustração com possível corte na produção da Opep+

Petróleo fecha misto após frustração com possível corte na produção da Opep+


SAUDI ARAMCO/DIVULGAÇÃO/JC
Os contratos futuros de petróleo fecharam sem direção única nesta terça-feira após o mercado se frustrar com a falta de sinalização do Comitê de Monitoramento Ministerial Conjunto (JMMC, na sigla em inglês) da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) a respeito de cortes na produção em 2021.
Os contratos futuros de petróleo fecharam sem direção única nesta terça-feira após o mercado se frustrar com a falta de sinalização do Comitê de Monitoramento Ministerial Conjunto (JMMC, na sigla em inglês) da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) a respeito de cortes na produção em 2021.
O petróleo WTI para dezembro, que operou em baixa durante quase todo o pregão, recuperou fôlego no fim dos negócios e fechou em alta de 0,22%, a US$ 41,43 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Já o Brent para janeiro fechou em queda de 0,16% na Intercontinental Exchange (ICE), cotado a US$ 43,75 o barril.
O mercado ficou atento à reunião do comitê da Opep+ nesta terça-feira, após a Reuters informar por fontes que membros da organização teriam concordado em estender os cortes na produção de petróleo - atualmente na faixa de 7,7 milhões de barris por dia - por mais três meses, a partir de janeiro. A reunião que aconteceu hoje, porém, terminou sem um sinal claro de qual será a política do grupo em 2021. A próxima reunião marcada ocorre daqui a um mês, em 17 de dezembro.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO