Porto Alegre, segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Dia Internacional da Tolerância.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h11min, 16/11/2020.

Bolsas da Ásia fecham em alta, após indicadores positivos e acordo comercial

As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta segunda-feira (16) com os ganhos chegando a superar 2% em alguns casos, após dados animadores da China e do Japão e da assinatura de um acordo comercial englobando 15 economias da região e do Pacífico.
As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta segunda-feira (16) com os ganhos chegando a superar 2% em alguns casos, após dados animadores da China e do Japão e da assinatura de um acordo comercial englobando 15 economias da região e do Pacífico.
Em Tóquio, o japonês Nikkei saltou 2,05%, a 25.906,93 pontos, atingindo o maior patamar desde junho de 1991. Já o sul-coreano Kospi avançou 1,97% em Seul, a 2.543,03 pontos, o maior nível em 33 meses, o Hang Seng se valorizou 0,86% em Hong Kong, a 26.381,67 pontos, e o Taiex registrou alta de 2,10% em Taiwan, a 13.551,83 pontos. Na China continental, o Xangai Composto subiu 1,11%, a 3.346,97 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto, 0,93%, a 2.289,82 pontos.
Ontem à noite, pelo horário de Brasília, China e Japão divulgaram indicadores que superaram as expectativas e mostram as duas potências asiáticas se recuperando do impacto da pandemia do novo coronavírus. Na comparação anual, a produção industrial chinesa subiu 6,9% em outubro, mais do que o acréscimo de 6,5% previsto por analistas, enquanto os investimentos fixos avançaram 1,8% nos primeiros dez meses de 2020, acima do ganho de 1,6% estimado para o período. As vendas no varejo chinês, por sua vez, cresceram 4,3% em outubro ante igual mês do ano passado, menos do que o consenso do mercado (+4,6%), mas em ritmo mais forte do que em setembro (+3,3%).
Além disso, o Produto Interno Bruto (PIB) japonês se expandiu à taxa anualizada de 21,4% entre julho e setembro, o melhor resultado em pelo menos 40 anos e acima do avanço projetado por economistas, de 18,9%.
O bom humor também veio após a assinatura, no domingo (15), de um acordo comercial envolvendo 15 economias da Ásia e do Pacífico, incluindo China, Japão e Coreia do Sul. O pacto conhecido como Parceria Econômica Abrangente Regional (RCEP, na sigla em inglês), que deu origem à maior aliança comercial do mundo, tem o objetivo de gradualmente reduzir tarifas em várias áreas.
Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no azul, mas o dia foi marcado por problemas técnicos que levaram o pregão a se encerrar quase uma hora antes do previsto. O S&P/ASX 200 avançou 1,23% em Sydney, a 6.484,30 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO