Porto Alegre, sexta-feira, 13 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 13 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 16h01min, 13/11/2020.

Ouro fecha em alta, apoiado por dólar mais fraco e reduzindo perdas da semana

Ouro para entrega em dezembro fechou em alta de 0,69%, em US$ 1.886,20 a onça-troy

Ouro para entrega em dezembro fechou em alta de 0,69%, em US$ 1.886,20 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O contrato do ouro fechou com ganhos nesta sexta-feira (13) apoiado pelo dólar mais fraco. Mesmo em um dia em geral de maior apetite por risco, o metal considerado investimento mais seguro foi buscado, com investidores atentos à disseminação da Covid-19 nos Estados Unidos e na Europa. Além disso, com isso o ouro reduziu as perdas fortes de mais cedo nesta semana.
O contrato do ouro fechou com ganhos nesta sexta-feira (13) apoiado pelo dólar mais fraco. Mesmo em um dia em geral de maior apetite por risco, o metal considerado investimento mais seguro foi buscado, com investidores atentos à disseminação da Covid-19 nos Estados Unidos e na Europa. Além disso, com isso o ouro reduziu as perdas fortes de mais cedo nesta semana.
O ouro para entrega em dezembro fechou em alta de 0,69%, em US$ 1.886,20 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Na comparação semanal, contudo, o ouro recuou 3,36%.
No câmbio, o dólar recuava em relação a outras moedas principais, o que torna o ouro, cotado na moeda, mais barato para os detentores das outras divisas e tende a apoiar a demanda.
Além disso, o Commerzbank comenta em relatório que o ouro vinha de perdas mais fortes no início desta semana, por isso o movimento de hoje pode ter sido em parte um ajuste. O banco comenta que a perspectiva para o ouro continua a ser positiva, com governos e bancos centrais lançando medidas de ajuda à economia, diante da nova onda da pandemia nos EUA e em países europeus, e a expectativa de que a vacina para a Covid-19 ainda leve algum tempo para estar disponível globalmente. O Commerzbank cita ainda dois festivais que acontecem na Índia, que geralmente impulsionam a demanda por ouro como presentes nessas ocasiões, embora pondere que não está claro como a pandemia afetará essa demanda.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO