Porto Alegre, quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Dia do Supermercado. Dia Internacional da Qualidade.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h21min, 12/11/2020.

Maioria das bolsas da Europa fecha em baixa com realização de lucros e Covid-19

Índice Stoxx 600 encerrou em queda de 0,88%, a 385,16 pontos

Índice Stoxx 600 encerrou em queda de 0,88%, a 385,16 pontos


GABRIELA DI BELLA/ARQUIVO/JC
As bolsas da Europa fecharam majoritariamente em baixa nesta quinta-feira (12) em uma sessão marcada pela realização de lucros após três dias de consistentes ganhos, na esteira do noticiário positivo sobre o desenvolvimento de uma vacina eficaz contra o coronavírus. Investidores monitoram, com preocupação, a segunda onda de casos da doença no continente e nos Estados Unidos.
As bolsas da Europa fecharam majoritariamente em baixa nesta quinta-feira (12) em uma sessão marcada pela realização de lucros após três dias de consistentes ganhos, na esteira do noticiário positivo sobre o desenvolvimento de uma vacina eficaz contra o coronavírus. Investidores monitoram, com preocupação, a segunda onda de casos da doença no continente e nos Estados Unidos.
O índice Stoxx 600, que reúne as principais ações da região, encerrou em queda de 0,88%, a 385,16 pontos.
"Ainda há muito terreno para recuperar para a maioria das ações europeias, que ainda estão longe de seus recordes pré-pandemia", explica o analista de mercado sênior da Oanda, Craig Erlam.
Os mercados europeus deram pausa nesta quinta ao rali dos últimos dias, desencadeado pelo anúncio da Pfizer e da BioNTech de que a vacina que desenvolvem de forma conjunta se mostrou 90% eficaz, de acordo com resultados preliminares da terceira fase dos ensaios clínicos.
O movimento também vinha ganhando impulso da confirmação da vitória do candidato democrata, Joe Biden, nas eleições presidenciais dos Estados Unidos.
Antes de desfrutar dos benefícios da vacinação, contudo, os países terão que enfrentar o recente avanço da Covid-19.
Os EUA renovaram na quarta recorde diário de casos de doença, com 144 mil diagnósticos confirmados em 24 horas. A Alemanha também teve nova máxima no volume de infecções em uma dia, com mais de 18 mil na quarta.
Dentro desse contexto, o índice DAX, referência na Bolsa de Frankfurt, perdeu 1,24%, a 13.052,95 pontos. O papel da Lufthansa recuou 1,02%.
Em Londres, o FTSE 100 cedeu 0,68%, a 6.338,94 pontos. O Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês) do Reino Unido informou nesta quinta que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 15,5% no terceiro trimestre de 2020 ante o segundo, recuperando parte do tombo de 19,8% registrado entre abril e junho deste ano.
Na bolsa de Paris, o CAC 40 baixou 1,52%, a 5.362,57 pontos. A ação da Air France-KLM assinalou baixa de 0,63%.
Em Milão, o FTSE MIB caiu 0,83%, a 20.817,73 pontos.
Nas praças ibéricas, o IBEX 35 diminuiu 0,87%, 7.726,00 pontos, enquanto Lisboa contrariou o movimento descendente nos mercados europeus: avançou 0,59%, a 4.370,18 pontos.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO