Porto Alegre, segunda-feira, 09 de novembro de 2020.
Dia do Hoteleiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 09 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h11min, 09/11/2020.

Com vitória de Biden nos EUA, mercados internacionais têm alta generalizada

Bom humor na Ásia veio após a apuração das urnas nos EUA confirmar vitória do democrata

Bom humor na Ásia veio após a apuração das urnas nos EUA confirmar vitória do democrata


Andrew Harnik/AFP/JC
As Bolsas da Ásia fecharam em alta generalizada nesta segunda-feira (9) após a confirmação da vitória do democrata Joe Biden na eleição presidencial dos Estados Unidos. O bom humor na Ásia veio após a apuração das urnas nos EUA confirmar no sábado (7)) que Biden será o 46º presidente da maior economia do mundo. Embora o atual presidente, Donald Trump, ainda não tenha reconhecido a derrota e pretenda questionar o resultado eleitoral na Justiça, o momento é de apetite por risco.
As Bolsas da Ásia fecharam em alta generalizada nesta segunda-feira (9) após a confirmação da vitória do democrata Joe Biden na eleição presidencial dos Estados Unidos. O bom humor na Ásia veio após a apuração das urnas nos EUA confirmar no sábado (7)) que Biden será o 46º presidente da maior economia do mundo. Embora o atual presidente, Donald Trump, ainda não tenha reconhecido a derrota e pretenda questionar o resultado eleitoral na Justiça, o momento é de apetite por risco.
A corrida eleitoral americana também deixou a questão da Covid-19 em segundo plano. Nos últimos dias, os EUA vêm relatando mais de 100 mil novos casos diários. Já na Europa, vários países adotaram novas medidas de confinamento em uma ofensiva dos governos locais para conter a doença. Também no fim de semana, foram divulgados dados mistos da balança comercial da China. Na comparação anual de outubro, as exportações chinesas saltaram 11,4%, superando a previsão de analistas, de alta de 9%, enquanto as importações subiram 4,7% no período, abaixo da estimativa de acréscimo de 8,3%.
O índice acionário japonês Nikkei subiu 2,21% em Tóquio, a 24.839,94 pontos, atingindo o maior nível desde o fim de 1991, enquanto o Hang Seng avançou 1,18% em Hong Kong, a 26.016,17 pontos. O sul-coreano Kospi se valorizou 1,27% em Seul, a 2.447,20 pontos, e o Taiex registrou ganho de 1,19% em Taiwan, a 13.127,47 pontos. Na China continental, o Xangai Composto teve alta de 1,86%, a 3.373,73 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto, de 2,25%, a 2.333,46 pontos. Na Oceania, a Bolsa australiana foi também impulsionada pelo desfecho da eleição americana, e o S&P/ASX 200 avançou 1,75% em Sydney, a 6.298,80 pontos.
Bolsas da Europa
Os mercados acionários europeus abriram em alta nesta manhã, refletindo a confirmação do democrata Joe Biden como o 46º presidente dos Estados Unidos. A alta é generalizada a despeito do avanço da segunda onda de Covid-19 na Europa. No mundo, já são mais de 50 milhões de casos, conforme a universidade americana Johns Hopkins. Às 5h30min, no horário de Brasília, a Bolsa de Londres tinha alta de 1,29%, a de Frankfurt subia 1,40% e a de Paris apresentava avanço de 1,65%. A Milão tinha alta de 1,56% e as de Madri e Lisboa de 1,46% e 1,69%, nesta ordem.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO