Porto Alegre, quinta-feira, 29 de outubro de 2020.
Dia nacional do Livro e Dia mundial de combate ao AVC.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 29 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Balanço

- Publicada em 03h00min, 29/10/2020.

Bradesco lucra R$ 5 bilhões no terceiro trimestre

O Bradesco registrou lucro líquido recorrente de R$ 5,031 bilhões no terceiro trimestre deste ano, cifra 23,1% menor que a identificada um ano antes, de R$ 6,542 bilhões. Entretanto, na comparação com os três meses anteriores, que marcou o pior momento da pandemia quando o banco teve que reforçar seu colchão de proteção contra perdas, o resultado foi 29,9% maior, refletindo menores provisões.
O Bradesco registrou lucro líquido recorrente de R$ 5,031 bilhões no terceiro trimestre deste ano, cifra 23,1% menor que a identificada um ano antes, de R$ 6,542 bilhões. Entretanto, na comparação com os três meses anteriores, que marcou o pior momento da pandemia quando o banco teve que reforçar seu colchão de proteção contra perdas, o resultado foi 29,9% maior, refletindo menores provisões.
Os resultados do terceiro trimestre mostram recuperação após o intervalo de abril a junho, momento em que a quarentena necessária para conter a disseminação do vírus atravessou todo o período, exigindo mais provisões. O presidente executivo do Bradesco, Octavio de Lazari Jr., frisou, em nota que a melhora na curva de resultados é um sinal claro de que o pior ficou para trás. "É um balanço com os primeiros sinais de reencontro com a normalidade, depois dos impactos da paralisação econômica com a pandemia", afirmou.
De janeiro a setembro, o lucro líquido do Bradesco somou R$ 12,657 bilhões, queda de 34,2% ante um ano, quando ficou em R$ 19,242 bilhões. Lazari afirmou que o fim do auxílio emergencial e das prorrogações dos empréstimos não deverão trazer grande impacto, já que os valores para eventuais atrasos já estão provisionados. "Destacamos a inadimplência sob controle, as provisões em nível adequado e o crescimento da carteira de crédito. Podemos afirmar que o que vemos pela frente é a recuperação dos indicadores, de forma gradual, o que se refletiu na melhora desse balanço e que vai continuar se refletindo pelos próximos", finalizou.
A carteira de crédito expandida do Bradesco totalizou R$ 664,414 bilhões de julho a setembro, saldo 0,5% maior que o visto nos três meses anteriores. Em um ano, o crescimento foi de 11,7%.
Comentários CORRIGIR TEXTO