Porto Alegre, terça-feira, 27 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 27 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 11h21min, 27/10/2020.

Ibovespa abre em alta, mas esbarra em instabilidade em NY e cede

Ibovespa registra queda de 0,47%, aos 100.545 pontos

Ibovespa registra queda de 0,47%, aos 100.545 pontos


ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOLHAPRESS/JC
O Índice Bovespa operou em alta na primeira meia hora de pregão, mas passou a enfrentar instabilidade após a abertura fraca das bolsas de Nova Iorque, que seguem mostrando a preocupação do investidor com a proximidade da eleição presidencial, a ausência de acordo em torno de um pacote de estímulos à economia e o crescimento dos casos de Covid-19. Por aqui, o dia é marcado pela divulgação de balanços corporativos importantes. Às 11h21min, o Ibovespa tinha baixa de 0,47%, aos 100.545 pontos.
O Índice Bovespa operou em alta na primeira meia hora de pregão, mas passou a enfrentar instabilidade após a abertura fraca das bolsas de Nova Iorque, que seguem mostrando a preocupação do investidor com a proximidade da eleição presidencial, a ausência de acordo em torno de um pacote de estímulos à economia e o crescimento dos casos de Covid-19. Por aqui, o dia é marcado pela divulgação de balanços corporativos importantes. Às 11h21min, o Ibovespa tinha baixa de 0,47%, aos 100.545 pontos.
O destaque no mercado de ações fica por conta dos papéis do Santander Brasil, que divulgou resultados melhores que o esperado no terceiro trimestre do ano. Apesar de alguns analistas apontarem espaço para nova alta hoje, com resistência à realização de lucros, o papel mostra instabilidade e alterna altas e baixas, chegando inclusive a entrar em leilão, por conta das oscilações bruscas. As demais ações do setor financeiro recuam, também entregues às correções.
Em relatório divulgado esta manhã, o Citi melhorou a projeção de Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2020 de queda de 6,5% para contração menos intensa, de 5,8%. O banco cita desempenho da atividade superior ao esperado no terceiro trimestre, quando o PIB deve crescer 6,8% na margem. A projeção para o quarto trimestre, de alta de 0,7%, foi mantida. O Citi também não alterou a estimativa de crescimento de 3,0% do PIB em 2021, mas reforçou que o risco fiscal eleva o perigo de um desempenho aquém do esperado.
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça a apoiadores que o País resgatou a credibilidade internacional. Isso gerou, segundo ele, recomendação de compra da moeda brasileira e mostra que a economia está "dando certo". Acompanhado do ministro da Economia, Paulo Guedes, o chefe do Executivo citou como exemplo de bom desempenho a geração de novos empregos.
"O Brasil é um País que resgatou a credibilidade lá fora", disse. O presidente atribuiu o desempenho econômico a atuação dos ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Agricultura, Tereza Cristina. "A prova tá aqui, brasileiro está vendo mais, está produzindo mais, mais emprego", comentou. Sem entrar em detalhes, emendou: "Lá fora estão recomendando comprar real."
100.545
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO