Porto Alegre, quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
Dia do Contato Publicitário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Trabalho

- Publicada em 03h00min, 21/10/2020.

Reajuste do piso regional está previsto para ser votado hoje

Texto que tramita na Assembleia Legislativa reajusta em 4,5% o benefício

Texto que tramita na Assembleia Legislativa reajusta em 4,5% o benefício


LUCAS MIRANDA/PIXABAY/DIVULGAÇÃO/JC
Os deputados estaduais votam hoje o projeto de reajuste do salário-mínimo regional para 2020. O texto que tramita na Assembleia Legislativa, enviado pelo governo do Estado em fevereiro, reajusta em 4,5% o piso regional, conforme o INPC, válido a partir de 1º de fevereiro, data-base do piso regional. O piso salarial gaúcho é composto por cinco faixas salariais, divididas por categorias de trabalho. Pelo projeto do Piratini, a menor faixa passará a valer R$ 1.292,82, sendo que hoje vale R$ 1.237,15. E a maior faixa ficará em R$ 1.638,36, considerando que atualmente está fixada em R$ 1.567,81. O salário-mínimo nacional está valendo atualmente R$ 1.039,00.
Os deputados estaduais votam hoje o projeto de reajuste do salário-mínimo regional para 2020. O texto que tramita na Assembleia Legislativa, enviado pelo governo do Estado em fevereiro, reajusta em 4,5% o piso regional, conforme o INPC, válido a partir de 1º de fevereiro, data-base do piso regional. O piso salarial gaúcho é composto por cinco faixas salariais, divididas por categorias de trabalho. Pelo projeto do Piratini, a menor faixa passará a valer R$ 1.292,82, sendo que hoje vale R$ 1.237,15. E a maior faixa ficará em R$ 1.638,36, considerando que atualmente está fixada em R$ 1.567,81. O salário-mínimo nacional está valendo atualmente R$ 1.039,00.
Em maio de 2019, os deputados aprovaram o reajuste de 3,4% do mínimo regional - o primeiro encaminhado pelo governador Eduardo Leite. Na ocasião, o percentual não repôs a inflação daquele ano. Entre fevereiro de 2018 e janeiro de 2019, o INPC havia acumulado 3,57% de inflação.
Comentários CORRIGIR TEXTO