Porto Alegre, segunda-feira, 05 de outubro de 2020.
Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa. Feriado nos estados do Amapá, Roraima e Tocantins.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 05 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Operação Lava Jato

- Publicada em 11h30min, 05/10/2020. Atualizada em 11h34min, 05/10/2020.

Nova Engevix recebe aval para voltar às licitações da Petrobras

Grupo que estava envolvido na Lava Jato assinou acordo de R$ 516 milhões em troca de poder fechar contratos com o poder público

Grupo que estava envolvido na Lava Jato assinou acordo de R$ 516 milhões em troca de poder fechar contratos com o poder público


Nova Engevix/Divulgação/JC
O grupo Nova Participações, controlador da Nova Engevix Engenharia, recebeu aval da Petrobras para voltar a participar de licitações da estatal. A autorização levou quase um ano para oficializada. O antigo grupo Engevix foi uma das principais empresas envolvidas nas investigações da operação Lava Jato
O grupo Nova Participações, controlador da Nova Engevix Engenharia, recebeu aval da Petrobras para voltar a participar de licitações da estatal. A autorização levou quase um ano para oficializada. O antigo grupo Engevix foi uma das principais empresas envolvidas nas investigações da operação Lava Jato
Em novembro de 2019, o grupo Nova celebrou acordo de leniência com a Controladoria-Geral da União (CGU) e Advocacia-Geral da União (AGU), no qual concordou em pagar R$ 516 milhões em troca de poder fechar contratos com o poder público. O valor, porém, não será pago de uma vez, mas de modo parcelado até janeiro de 2046. A quantia deve sofrer correção monetária ao longo do período, segundo os órgãos de controle.
Do dinheiro a ser pago, R$ 315,84 milhões correspondem somente ao que foi pago pela empresa a título de propina nos esquemas de corrupção investigados pela Lava Jato na Petrobras. Com a leniência, a Nova Participações poderá firmar contratos inclusive com a petroleira estatal.
Outros R$ 105 milhões dizem respeitos às vantagens indevidas auferidas pela empresa por meio de contratos irregulares. Por fim, mais R$ 95,44 milhões serão pagos pela empresa a título de multa, conforme previsto nas leis Anticorrupção (12.846/2013) e de Improbidade Administrativa (8.429/1992). Todos os recursos serão inteiramente destinados à União e às entidades lesadas.
Além disso, houve uma completa reorganização da empresa, a partir de um rigoroso padrão de compliance. Atendendo a todas as exigências da petroleira, a Engevix afirma que agora avançará na requalificação junto à Petrobras, para se tornar uma fornecedora fixa da estatal.
"Nosso programa de integridade é bastante robusto, contando ainda com uma diretoria de governança autônoma para monitorar a implementação das ações e a eficácia dos mecanismos de prevenção de riscos", destaca Luiz Fernando Pugliesi, diretor de novos negócios da Nova Participações. Em julho, a empresa também aderiu ao Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção, promovido pelo Instituto Ethos.
No Rio Grande do Sul, a empresa participou de empreendimentos como as hidrelétricas de Rio das Antas, Dona Francisca, São João e Monjolinho. Recentemente, a companhia iniciou projeto para reparação da Barragem do Capané, em Cachoeira do Sul.
Comentários CORRIGIR TEXTO