Porto Alegre, quarta-feira, 30 de setembro de 2020.
Dia da Secretária. Dia do Jornaleiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 30 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 16h16min, 30/09/2020. Atualizada em 16h17min, 30/09/2020.

Petróleo fecha em alta com queda dos estoques nos EUA e expectativa por pacote

O petróleo WTI para novembro subiu 2,37%, a US$ 40,22 o barril

O petróleo WTI para novembro subiu 2,37%, a US$ 40,22 o barril


ANDRÉ MOTTA DE SOUZA/AGÊNCIA PETROBRAS/DIVULGAÇÃO/JC
Os contratos futuros do petróleo fecharam o pregão desta quarta-feira (30) o último do mês e do trimestre, em alta, impulsionados por uma queda dos estoques semanais nos Estados Unidos e em meio ao otimismo com negociações em Washington por um novo pacote fiscal.
Os contratos futuros do petróleo fecharam o pregão desta quarta-feira (30) o último do mês e do trimestre, em alta, impulsionados por uma queda dos estoques semanais nos Estados Unidos e em meio ao otimismo com negociações em Washington por um novo pacote fiscal.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para novembro subiu 2,37%, a US$ 40,22 o barril, mas recuou 5,61% no mês. Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para o dezembro avançou 1,78%, a US$ 42,30 o barril, com queda de 6,58% em setembro.
Depois de ter iniciado o pregão em baixa, o petróleo se recuperou com a melhora no sentimento do mercado e após dados divulgados pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos (DoE, na sigla em inglês).
Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin afirmou que espera um acordo por um novo pacote de estímulos nos EUA até esta quinta-feira, 30, e mencionou que há diálogo com a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi.
Com o mercado mais otimista, após a sinalização de Mnuchin, a commodity energética também foi apoiada pela redução de 1,98 milhão de barris nos estoques de petróleo em território americano, divulgada pelo Doe.
Analistas do setor de energia, entretanto, são céticos sobre a continuidade na recuperação dos preços da commodity. "O preço do petróleo manteve-se bastante bem recentemente, apesar das más notícias em muitas frentes", avalia o chefe de Pesquisa em Commodities do Commerzbank, Eugen Weinberg. O profissional do banco alemão acrescenta, porém, que a crise gerada pela pandemia e a demanda fraca de aviação "estão pairando sobre o mercado como a espada de Dâmocles".
Para os estrategistas de commodities do ING, "o ressurgimento dos casos da Covid-19, mais recentemente, em algumas regiões, claramente não é bom para o sentimento do mercado". Os profissionais do banco holandês ressaltam que também veem como possível um aumento da oferta por parte de integrantes da Organização dos Países Exportadores de petróleo e aliados, grupo conhecido como Opep+.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO