Porto Alegre, segunda-feira, 28 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 28 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h24min, 28/09/2020.

Ouro fecha em alta, apesar de pouca busca por segurança, apoiado por dólar fraco

Ouro com entrega prevista para dezembro avançou 0,86%, a US$ 1.882,30 a onça-troy

Ouro com entrega prevista para dezembro avançou 0,86%, a US$ 1.882,30 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O ouro fechou o pregão desta segunda-feira (28) em alta, apesar da pouca busca por segurança nos mercados internacionais, apoiado pela fraqueza do dólar.
O ouro fechou o pregão desta segunda-feira (28) em alta, apesar da pouca busca por segurança nos mercados internacionais, apoiado pela fraqueza do dólar.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para dezembro avançou 0,86%, a US$ 1.882,30 a onça-troy, depois de ter recuado quase 5% na semana passada, em meio a um aumento da incerteza global que havia fortalecido a moeda dos EUA.
Hoje, com o dólar em baixa na comparação com as principais moedas, o metal precioso encontrou espaço para subir, já que, dessa forma, os contratos ficam mais baratos para detentores de outras divisas.
O que levou o dólar a se enfraquecer foi a menor busca por segurança nos mercados, com o otimismo gerado pela renovada perspectiva de aprovação de um novo pacote fiscal nos Estados Unidos. Presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi afirmou que há diálogo entre governo e oposição sobre novos estímulos, algo considerado essencial até mesmo por dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) para apoiar a recuperação econômica.
"Os negociadores e investidores estão menos avessos ao risco para iniciar a semana de negociação, mas eles sabem que as próximas seis semanas podem ser altamente voláteis para muitos mercados", afirma o analista Jim Wyckoff, da Kitco.com, em referência à proximidade das eleições presidenciais americanas.
*Com informações da Dow Jones Newswires
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO