Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Aviação

- Publicada em 16h47min, 19/09/2020. Atualizada em 17h05min, 19/09/2020.

Latam consegue liberar empréstimo de US$ 2,4 bilhões na Justiça dos EUA

Acionistas minoritários da empresa haviam questionado na Justiça a proposta de financiamento inicial,

Acionistas minoritários da empresa haviam questionado na Justiça a proposta de financiamento inicial,


ANTONIO CRUZ/ABR/JC
Após disputas com minoritários e um revés da Justiça dos Estados Unidos, a Latam informou que recebeu aprovação do Tribunal do Distrito Sul de Nova Iorque para a proposta de financiamento modificada, dentro do processo de recuperação judicial (Chapter 11).
Após disputas com minoritários e um revés da Justiça dos Estados Unidos, a Latam informou que recebeu aprovação do Tribunal do Distrito Sul de Nova Iorque para a proposta de financiamento modificada, dentro do processo de recuperação judicial (Chapter 11).
"A decisão do juiz James L. Garrity Jr. permite que o grupo tenha acesso aos US$ 2,45 bilhões necessários para enfrentar os impactos da covid-19", comunicou a companhia aérea, em nota, nessa sexta-feira (18).
Acionistas minoritários da empresa haviam questionado na Justiça a proposta de financiamento inicial, que abria espaço para a conversão do valor emprestado em ações com desconto de 20%, favorecendo os controladores em detrimento dos minoritários. A nova proposta, apresentada na quinta-feira, retirou essa cláusula.
A estimativa do mercado era que o sinal verde da Justiça saísse rapidamente, uma vez que todas as barreiras haviam sido retiradas pela companhia na proposta nova. O prazo para o veredicto era de 14 dias, mas era esperado que o juiz se antecipasse diante da situação frágil do setor aéreo na pandemia.
O financiamento é composto por duas parcelas. Uma de até US$ 1,15 bilhão, sendo US$ 750 milhões fornecidos pela Qatar Airways e pelos grupos chilenos Cueto e Eblen, além de US$ 250 milhões pela empresa americana Knighthead Capital. Acionistas minoritários da Latam poderão participar com até US$ 150 milhões.
A outra parcela, de até US$ 1,3 bilhão, será liderado pela Oaktree Capital Management (companhia americana de investimento de risco), que contribuirá com US$ 1,125 bilhão, enquanto a Knighthead Capital participará com US$ 175 milhões.
Em nota, o presidente da Latam, Roberto Alvo, comemorou o resultado. "A aprovação do DIP (modelo do financiamento) é um passo muito significativo para a sustentabilidade do grupo e agradecemos o amplo interesse e confiança no que a Latam construiu e em nosso projeto de longo prazo. Agora começamos uma nova etapa, de apresentar o nosso plano de reorganização", disse.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO