Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Turismo

- Publicada em 21h56min, 22/09/2020.

Trade aposta em retomada e aguarda mais turistas

Cidades também estão recebendo viajantes mais conscientes

Cidades também estão recebendo viajantes mais conscientes


/PREFEITURA DE GRAMADO/DIVULGAÇÃO/JC
Adriana Lampert
À medida que as fronteiras vão se abrindo, e que as empresas passam a ofertar produtos turísticos novamente, viajantes brasileiros começam a apostar em pequenas saídas para descansar da quarentena. Mas ainda que hotéis, restaurantes, e outros empreendimentos do setor estejam adotando protocolos de segurança, algumas pessoas insistem em circular sem máscaras ou aglomerar, principalmente quando se trata de bares noturnos. A fim de conscientizar consumidores do trade, 27 entidades do turismo se uniram, na semana passada, para lançar o Guia do Viajante Responsável.
À medida que as fronteiras vão se abrindo, e que as empresas passam a ofertar produtos turísticos novamente, viajantes brasileiros começam a apostar em pequenas saídas para descansar da quarentena. Mas ainda que hotéis, restaurantes, e outros empreendimentos do setor estejam adotando protocolos de segurança, algumas pessoas insistem em circular sem máscaras ou aglomerar, principalmente quando se trata de bares noturnos. A fim de conscientizar consumidores do trade, 27 entidades do turismo se uniram, na semana passada, para lançar o Guia do Viajante Responsável.
Disponível apenas em versão on-line, o material reúne orientações para o turista que pretende voltar a conhecer destinos pelo Brasil observando como ele pode contribuir para se proteger e apontando como estabelecimentos, transporte e estações devem agir para oferecer uma visitação segura. Contando com 26 recomendações fundamentais para que não ocorra retrocesso nas flexibilizações para a atividade, e para que se evite a disseminação do Covid-19, a campanha é uma iniciativa do Movimento Supera Turismo. Formado por hotéis, companhias aéreas, agentes de viagem, operadores, parques e atrações turísticas, prestadores de serviços e segmentos da cadeia, o grupo agora tem o desafio de dar visibilidade para a campanha. A meta é alcançar 1 milhão de pessoas.
Entre as recomendações, o presidente Associação Brasileira de Resorts (Resorts Brasil), Sérgio Souza, integrante do Movimento, destaca que "sempre que utilizar qualquer produto de turismo, o viajante procure o Selo do Turismo Responsável, que é uma garantia que todos os protocolos de higiene e segurança determinados pelo Ministério do Turismo e Anvisa estão sendo cumpridos".
O guia já conta com a adesão de 34% dos meios de hospedagem do País. "Acreditamos que esta campanha terá adesão da população em geral, independente de ser ou não turista, porque a atividade é fundamental para a economia do País", completa o assessor de Comunicação do evento, Luiz Henrique Miranda. Ele destaca que, no material, há também dicas de comportamento em atrações turísticas e argumentos para incentivar a compra de viagens em agências de turismo.
"É um esforço do setor para criar protocolos que diminuam os risco de contaminação", observa o presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre (SHPoa), Carlos Henrique Schmidt. Ele ressalta que, na Capital, todos os hotéis estão medindo temperatura dos hóspedes que chegam, bem como mantendo todos os cuidados de higiene e segurança dentro de suas instalações. "A contaminação dentro de um hotel é muito difícil", garante ele. Ainda que muito timidamente (ocupação média está entre 25% a 30% e a capacidade de atendimento reduzida pela metade), ele afirma que os visitantes estão voltando a procurar a hotelaria. "A resposta vem semana a semana".
De acordo com Schmidt, por conta da baixa demanda, a hotelaria está travando uma guerra de tarifas na tentativa de atrair mais clientes. "Todos estão com preços menores. Tem empresa que baixou a diária de R$ 250,00 para R$ 140,00."
O presidente do SHPoa avalia que a "depreciação tarifária é decorrente do momento", e afirma que só acredita em uma retomada mais consistente quando os eventos voltarem a acontecer, a malha aérea aumentar a oferta de voos, e a Capital sair da bandeira vermelha de distanciamento social, modelo implementado pelo governo do Estado para regular a liberação das atividades. "Acredito em retomada plena só a partir de março do ano que vem. Tudo vai depender do retorno dos eventos e dos negócios", reforça Schmidt, que comanda a Rede Plaza.

Abav-RS tem boas perspectivas

Após meses de prejuízos e de queda de volume de vendas, as agências de viagens no Estado começaram a negociar pacotes. Ainda que a maioria das fronteiras estejam fechadas para viajantes brasileiros, operadores e agentes estão sendo procurados, garante o vice-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens no Rio Grande do Sul (Abav-RS), João Machado. "As perspectivas são as melhores, estamos bem otimistas com a retomada que vem pela frente."

De acordo com Machado, "está todo mundo louco para viajar, mas sabendo das restrições, estão comprando pacotes para janeiro e fevereiro apostando na volta da liberação de viagens." Proprietário de agência, o dirigente da Abav-RS afirma que a demanda maior é para Canadá, França, Itália e Cancun.

Serra Gaúcha segue com bastante movimento de visitantes regionais

Mauro Salles Sabores de Canela - Pousada Encantos da Terra - turismo-  crédito - Cristine Pires Especial JC (21)
Salles afirma que foi intensificado debate para que processo fosse mais colaborativo
CRISTINE PIRES/ESPECIAL/JC
Desde que retomaram a atividade turística, Gramado, Canela, Nova Petrópolis e São Francisco de Paula têm recebido cada vez mais visitantes. De acordo com o presidente do Sindtur-Serra Gaúcha, Mauro Salles, o trade dos municípios tem adotado protocolos "bem rigorosos". "Tem dado certo, afora alguns fatos isolados de pessoas que não estavam seguindo as orientações", pondera.
O dirigente observa que, "de um modo geral", dentro de hotéis, restaurantes e parques da Serra, os visitantes estão sendo compreensivos e usando máscaras, bem como evitando aglomeração. "Em Gramado, houve uma intensiva na comunicação para pedir a colaboração de todos", destaca Salles. Segundo ele, o perfil do turista tem sido mais regional, de cidades do entorno, devido à baixa oferta de voos de outros estados, e ocorre principalmente aos fins de semana. "Mas tem sido crescente e esperamos que para o final do ano as reservas continuem crescendo. Acho que vamos ter um bom fluxo."
De acordo com a Gerente de Marketing da Vinícola Mioranza, integrante da Associação de Vinícolas dos Altos Montes, Duda Rocha, a retomada ainda é "tímida" para o segmento. "Vínhamos em um momento muito bom do turismo na Serra Gaúcha, e a pandemia nos deu um grande susto."
Duda afirma que a expectativa é de retomada gradual e crescente, para chegar no patamar de 2019. "Acredito que só vai acontecer de forma plena depois que houver uma vacina" para estancar a pandemia. Ela destaca que, no momento as vinícolas, têm recebido grupos pequenos, voltados para a degustação. "É uma forma de trabalharmos dentro dos protocolos estabelecidos. Nossa perspectiva é que quando houver segurança total, o turismo voltará com força dentro do nosso negócio."
Comentários CORRIGIR TEXTO