Porto Alegre, segunda-feira, 14 de setembro de 2020.
Aniversário da cidade de Viamão.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 14 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

conjuntura

- Publicada em 11h38min, 14/09/2020.

Indicador Antecedente sobe 1,1% em agosto, dizem FGV e Conference Board

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE) subiu 1,10% em agosto na comparação com julho, para 117,8 pontos. A informação foi publicada nesta segunda-feira (14) pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e The Conference Board. O resultado de julho situa o IACE 2,2 pontos abaixo do nível observado em fevereiro de 2020, último mês pouco afetado pela pandemia de coronavírus.
O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE) subiu 1,10% em agosto na comparação com julho, para 117,8 pontos. A informação foi publicada nesta segunda-feira (14) pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e The Conference Board. O resultado de julho situa o IACE 2,2 pontos abaixo do nível observado em fevereiro de 2020, último mês pouco afetado pela pandemia de coronavírus.
Quatro das oito séries que compõem o índice contribuíram para a melhora do indicador, com destaque para o Índice de Expectativas da Indústria. Na outra ponta, o Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições correntes, ficou estável em 101,4 pontos. "Não só a desaceleração do IACE, mas também a estabilidade do ICCE em agosto mostram que o ritmo dessa recuperação ainda está sujeito às incertezas ligadas aos efeitos dos estímulos sobre a dinâmica do quadro fiscal, e ao controle efetivo da crise sanitária", afirma, em nota, o pesquisador Paulo Piccheti, da FGV.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO