Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMBUSTÍVEIS

- Publicada em 09h17min, 13/09/2020. Atualizada em 09h17min, 13/09/2020.

Itamaraty aprova importação de 187 milhões de litros de etanol dos EUA

Ministério das Relações Exteriores e o governo dos Estados Unidos emitiram uma nota conjunta sobre a decisão

Ministério das Relações Exteriores e o governo dos Estados Unidos emitiram uma nota conjunta sobre a decisão


JONATHAN HECKLER/arquivo/JC
O governo brasileiro aprovou uma nova cota, de 187,5 milhões de litros, para a importação de etanol dos Estados Unidos. A nova cota terá validade de 90 dias, a partir do dia seguinte à data de publicação da decisão no Diário Oficial da União.
O governo brasileiro aprovou uma nova cota, de 187,5 milhões de litros, para a importação de etanol dos Estados Unidos. A nova cota terá validade de 90 dias, a partir do dia seguinte à data de publicação da decisão no Diário Oficial da União.
O Ministério das Relações Exteriores e o governo dos Estados Unidos emitiram uma nota conjunta sobre a decisão e afirmaram que "decidiram realizar discussões orientadas a obter resultados acerca de um arranjo para aumentar o acesso ao mercado de etanol e açúcar no Brasil e nos Estados Unidos".
A nota informa ainda que os países considerarão um incremento no acesso ao mercado de milho em ambos os países.
"Os dois países também discutirão maneiras de garantir que haja um acesso justo ao mercado paralelamente a qualquer aumento no consumo de etanol, bem como de coordenar-se e garantir que as indústrias de etanol em ambos os países sejam tratadas de maneira justa e se beneficiem de mudanças regulatórias futuras em produtos de biocombustíveis no Brasil e nos Estados Unidos", afirma a nota.
De acordo com o comunicado divulgado pelo Itamaraty, "as discussões devem buscar alcançar resultados recíprocos e proporcionais que gerem comércio e abram mercados para o benefício de ambos os países".
Segundo a pasta, as discussões ocorrerão em um período de 90 dias que começa nesta segunda-feira (14).
"Durante esse período, o Brasil manterá uma quota tarifária pro-rata, proporcional ao volume anual total da quota tarifária pro-rata (TRQ) que vigia em 30 de agosto de 2020", informou o Itamaraty.
Agência Brasil
Comentários CORRIGIR TEXTO