Porto Alegre, sábado, 05 de setembro de 2020.
Dia da Amazônia.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 05 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Evento

- Publicada em 11h22min, 05/09/2020. Atualizada em 15h09min, 05/09/2020.

Feira do Azeite planeja aumentar frequência em Porto Alegre

Oito produtores estiveram presentes ao encontro realizado no pátio da Secretaria Estadual da Agricultura

Oito produtores estiveram presentes ao encontro realizado no pátio da Secretaria Estadual da Agricultura


JOYCE ROCHA/JC
Nem mesmo a chuva impediu a realização neste sábado (5) da edição de setembro da Feira do Azeite no pátio da Secretaria Estadual da Agricultura, localizado na Avenida Getúlio Vargas, 1.384, em Porto Alegre. O evento, que é feito no primeiro sábado de cada mês, pode agora dobrar a sua periodicidade.
Nem mesmo a chuva impediu a realização neste sábado (5) da edição de setembro da Feira do Azeite no pátio da Secretaria Estadual da Agricultura, localizado na Avenida Getúlio Vargas, 1.384, em Porto Alegre. O evento, que é feito no primeiro sábado de cada mês, pode agora dobrar a sua periodicidade.
O produtor da Olivae Agroindustrial e um dos organizadores do encontro, Luiz Alberto Amaral, adianta que a ideia é ampliar a feira também para o terceiro sábado de cada mês. No evento desse final de semana, participaram oito produtores oriundos de sete municípios (Caçapava do Sul, Cachoeira do Sul, Formigueiro, Piratini, Pinheiro Machado, Barra do Ribeiro e Dom Feliciano).
Essa é a terceira edição do encontro, que é uma iniciativa do Instituto Brasileiro da Olivicultura (IBRAOLIVA), em parceria com a Secretaria da Agricultura, após alguns cancelamentos devido à pandemia de Covid-19. O encontro acontece com medidas de segurança, visando preservar a saúde dos participantes. Por exemplo, é obrigatório o uso de máscaras para os produtores e consumidores. Em relação ao distanciamento, é cumprido o decreto municipal que determina um espaçamento de 10 metros entre as bancas de azeites e não há degustações para evitar aglomeração de pessoas.
Amaral frisa que, além de aumentar a frequência da feira, a meta é diversificar os produtos comercializados. “Com azeite também se produz chocolates, sabonetes, xampus, entre outros itens”, comenta o produtor. Ele ressalta e que o mercado de azeite no Rio Grande do Sul tende a crescer e o Estado já concentra em torno de 90% da produção nacional. Amaral acrescenta que a Metade Sul gaúcha apresenta um bom potencial para o plantio de oliveiras.
Comentários CORRIGIR TEXTO