Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 17h40min, 04/09/2020. Atualizada em 17h40min, 04/09/2020.

Bolsas de Nova Iorque fecham em queda em meio a venda de ações de tecnologia

O índice Dow Jones encerrou em baixa de 0,56%, a 28.133,31 pontos

O índice Dow Jones encerrou em baixa de 0,56%, a 28.133,31 pontos


SCOTT HEINS/GETTY IMAGES/AFP/JC
As bolsas de Nova Iorque fecharam em queda nesta sexta-feira (4), em meio à continuação do movimento de liquidação de ações de tecnologia. Números positivos do mercado de trabalho americano, divulgados pela manhã, chegaram a fornecer alívio momentâneo aos negócios, mas a cautela predominou ao longo do dia, embora o ritmo de perdas tenha diminuído.
As bolsas de Nova Iorque fecharam em queda nesta sexta-feira (4), em meio à continuação do movimento de liquidação de ações de tecnologia. Números positivos do mercado de trabalho americano, divulgados pela manhã, chegaram a fornecer alívio momentâneo aos negócios, mas a cautela predominou ao longo do dia, embora o ritmo de perdas tenha diminuído.
O índice Dow Jones encerrou em baixa de 0,56%, a 28.133,31 pontos, com recuo semanal de 1,81%. O S&P 500 cedeu 0,81%, a 3.426,96 pontos, nível 2,31% inferior ao de sexta-feira passada. O Nasdaq recuou 1,27%, a 11.313,13 pontos, perda de 3,27% na semana.
A ação da Apple, que chegou despencar 7% no início do dia, se recuperou e teve variação positiva de 0,07%. As demais techs, contudo, não seguiram o mesmo caminho, com Facebook em baixa de 2,88%, seguido por Amazon (-2,18%) e Alphabet, controladora do Google (-2,96%).
Investidores deram sequência à onda de vendas de papeis das gigantes do Vale do Silício e deixaram de lado os dados do relatório de emprego dos Estados Unidos.
O Departamento do Trabalho informou que, em agosto, foram criados 1,371 milhão de vagas.O indicador veio quase em linha com a mediana das expectativas de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, de 1,39 milhão de vagas. A taxa de desemprego recuou de 10,2% em julho para 8,4% em agosto.
Economista do Commerzbank, Bernd Weidensteiner explica que os dados ficaram distorcidos por conta da contratação de quase 300 mil trabalhadores temporários pelo governo, na montagem da equipe para a realização do Censo populacional. "Uma imagem mais clara da situação é, portanto, fornecida pelo emprego no setor privado, que aumentou em 1 milhão", avalia.
À tarde, o mergulho das bolsas deu uma amenizada, com suporte do setor bancário. Em comunicado, o Federal Reserve(Fed, o banco central americano) anunciou que reduziu os requisitos de capital para Goldman Sachs e Morgan Stanley, depois de identificar erro nos cálculos de perdas projetadas de trading de cinco bancos.
Com isso, instituições financeiras se tornaram alternativas para operadores que fugiam das techs. O papel do Goldman Sachs avançou 1,63%, acompanhado por JPMorgan (+2,16%), Citigroup (+1,98%) e Bank of America (+3,43%). Morgan Stanley, por outro lado, teve queda de 0,08%.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO