Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 14h09min, 01/09/2020. Atualizada em 14h14min, 01/09/2020.

Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda, com pressão por dados fracos

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em queda de 0,35%, a 365,23 pontos

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em queda de 0,35%, a 365,23 pontos


MIGUEL MEDINA/AFP/JC
A maioria das bolsas da Europa fechou o pregão desta terça-feira (1º) em queda, com as praças locais bastante pressionadas por indicadores econômicos fracos divulgados ao longo da sessão. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em queda de 0,35%, a 365,23 pontos.
A maioria das bolsas da Europa fechou o pregão desta terça-feira (1º) em queda, com as praças locais bastante pressionadas por indicadores econômicos fracos divulgados ao longo da sessão. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em queda de 0,35%, a 365,23 pontos.
Entre os dados anunciados, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da zona do euro caiu entre julho e agosto de 51,8 para 51,7, segundo pesquisa final divulgada hoje pela IHS Markit. Já a taxa de desemprego se elevou a 7,9% em julho.
Mas o resultado mais frustrante foi o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), que inesperadamente caiu 0,2% na comparação anual de agosto, quando a expectativa era de alta de 0,2%.
Os indicadores reforçaram a percepção de que a retomada econômica no continente está desacelerando. O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, fechou o dia em queda de 1,70%, a 5.862,05 pontos, ajustando ainda perdas da véspera, quando o mercado local esteve fechado devido a feriado. Só a British Petroleum caiu 1,70%, apesar do petróleo em alta. Entre os indicadores rbritânicos, o PMI subiu 55,2 em agosto, mas ficou abaixo da prévia de 55,3.
Seguiram as perdas o índice CAC 40, de Paris, de 0,18%, a 4.938,10 pontos, e o índice FTSE MIB, de Milão, de 0,20%, a 19.595,02 pontos.
O índice Ibex 35, de Madri, também fechou em baixa de 0,18%, a 6.956,90 pontos.
Outras praças, porém, conseguiram encerrar a sessão com ganhos. O índice Dax, de Frankfurt, subiu 0,22%, a 12.974,25 pontos, com os papéis da Volkswagen em alta de 0,88%. Para além de alguma ajuda das bolsas de Nova York no azul, por lá repercutiu a notícia de que o governo alemão reduziu sua estimativa para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) do país neste ano, de 6,3% para 5,8%, segundo agências de notícias internacionais. Por outro lado, Berlim cortou sua projeção de crescimento da economia alemã em 2021, de 5,2% para 4,4%.
O índice PSI, de Lisboa, também fechou o dia em alta: de 0,14%, a 4.307,12 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO