Porto Alegre, quinta-feira, 10 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 10 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Obras

Notícia da edição impressa de 01/09/2020. Alterada em 10/09 às 13h42min

Anunciados planos de infraestrutura no Rio Grande do Sul

Alargamento da ponte sobre o Rio dos Sinos tem execução prioritária

Alargamento da ponte sobre o Rio dos Sinos tem execução prioritária


/valentin thomas/divulgação/jc
Carlos Villela
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou uma série de obras, algumas novas e outras já em andamento, durante Seminário da Competitividade na Infraestrutura promovido pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. O evento online realizado nesta segunda-feira teve participação do governador Eduardo Leite (PSDB), do presidente da Casa Ernani Polo (PP), do secretário de Logística e Transportes Juvir Costella (MDB), o ministro do TCU Augusto Nardes, deputados e representantes empresariais.
Uma das principais obras anunciadas pelo ministro e tida como prioridade pela pasta é o alargamento da ponte sobre o rio dos Sinos, ao lado da estação rodoviária de São Leopoldo, e o viaduto no bairro Scharlau, na mesma cidade. Os dois pontos sofrem frequentemente com problemas de congestionamento, ocorrendo um afunilamento de trânsito no local.
As obras, com início estimado em novembro, têm investimento estimado em R$ 74 milhões e estão dentro da série de intervenções previstas para o trecho entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, que devem totalizar R$ 500 milhões nos próximos anos. Paralelamente, há um projeto para o prolongamento da BR-448, de Sapucaia do Sul até Portão, no Vale do Caí. Já a ponte internacional de Porto Xavier, que ele disse ser "fundamental para a região das Missões", deve ter licitação lançada até o fim deste ano, para concluir em 2022.
O ministro também falou sobre o projeto de ampliação e recuperação da malha ferroviária gaúcha, como os ramais de Uruguaiana e Cruz Alta, passando por Cacequi, Santa Maria e o Porto de Rio Grande. Somado a isso, se planeja a recuperação do tronco sul, saindo de Porto Alegre rumo ao terminal de Sumaré em São Paulo, passando por Vacaria e Lages, em Santa Catarina, ligando a malha do Estado à malha paulista. De acordo com o ministro, se pretende prorrogar o contrato de concessão das ferrovias do Sul por 30 anos, e ampliar a malha nos moldes do contrato de R$ 6 bilhões em investimento na malha paulista nos próximos cinco anos. A expectativa do ministro é um investimento de R$ 40 bilhões em investimentos ferroviários no Brasil, visando aumentar a participação deste modal de transporte no País de 15% para 30%.
Freitas também falou sobre o plano de concessão de 22 aeroportos no País, três deles aqui no Estado: os aeroportos Comandante Gustavo Kraemer em Bagé, João Simões Lopes Neto em Pelotas e Rubem Berta em Uruguaiana. Além disso, anunciou que deve ser lançada em novembro a licitação para o aeroporto regional de Vila Oliva em Caxias do Sul, com investimento previsto de R$ 200 milhões.
Freitas destacou que o governo federal pretende investir na conclusão de obras pendentes ou interrompidas, pois segundo ele a "pior coisa" é investir pouco dinheiro em muitas ações pulverizadas, porque as obras não andam e passa para a sociedade a percepção de que as coisas não progridem. "É necessário focar nas obras que estão em andamento, porque se a gente concentra recurso eu libero espaço orçamentário para uma nova frente", disse.
Comentários CORRIGIR TEXTO

EXPEDIENTE

2020