Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ranking

- Publicada em 11h53min, 27/08/2020.

Dono da Amazon é primeiro no mundo a alcançar fortuna de US$ 200 bilhões

Em reais, Bezos já é trilionário: a fortuna do executivo ultrapassa o R$ 1,1 trilhão

Em reais, Bezos já é trilionário: a fortuna do executivo ultrapassa o R$ 1,1 trilhão


JASON REDMOND/AFP/JC
Jeff Bezos, dono da Amazon, é o primeiro bilionário no mundo a alcançar uma fortuna de US$ 200 bilhões. A marca foi atingida nesta quarta-feira (26), após uma valorização de 2% das ações da empresa lhe render um ganho de US$ 4,9 bilhões, segundo a revista "Forbes".
Jeff Bezos, dono da Amazon, é o primeiro bilionário no mundo a alcançar uma fortuna de US$ 200 bilhões. A marca foi atingida nesta quarta-feira (26), após uma valorização de 2% das ações da empresa lhe render um ganho de US$ 4,9 bilhões, segundo a revista "Forbes".
Em reais, Bezos já é trilionário: convertida para a moeda local, a fortuna do executivo ultrapassa o R$ 1,1 trilhão.
A estimativa é que a fortuna do executivo de 56 anos seja hoje de US$ 204,6 bilhões - cifra US$ 90 bilhões à frente da de Bill Gates, segundo homem mais rico do mundo - o que o coloca como a primeira pessoa a deter um quinto de trilhão.
O enriquecimento de Bezos neste ano deriva em grande medida da pandemia, que levou consumidores a migrarem em massa para o comércio virtual. Desde o início do ano, as ações da Amazon valorizaram 80%, segundo a revista americana.
A fatia de 11% da companhia que pertence a Bezos corresponde a mais de 90% de sua fortuna. Além da Amazon, o bilionário é proprietário do jornal "Washington Post" e da empresa aeroespacial Blue Origin, entre outros investimentos.
A "Forbes" calcula que o empresário seria ainda mais rico se não fosse pelo seu divórcio em julho do ano passado, o mais caro da história. No acordo firmado com sua ex-mulher, MacKenzie Scott, Bezos concordou em ceder 25% de sua participação na Amazon, o que equivale hoje a US$ 63 bilhões.
Scott é atualmente a segunda mulher mais rica do mundo, atrás da herdeira da L'Óreal, Françoise Bettencourt Meyers. No ranking geral, Scott fica em 14º lugar.
Outro bilionário a alcançar um novo patamar na sua fortuna nesta semana foi Mark Zuckerberg, dono do Facebook. As ações da empresa, também impulsionadas pela expansão dos hábitos digitais dos consumidores durante a pandemia, levaram o executivo a ultrapassar o patamar de US$ 100 bilhões na terça (25).
Segundo a "Forbes", nunca houve tantos centibilionários no mundo quanto hoje.
Folhapress
Comentários CORRIGIR TEXTO