Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Indústria

- Publicada em 10h48min, 20/08/2020. Atualizada em 10h50min, 20/08/2020.

Atividade industrial de julho se aproxima do pré-pandemia, diz CNI

Pelo primeiro mês desde o início da pandemia, o número de empregados no setor cresceu

Pelo primeiro mês desde o início da pandemia, o número de empregados no setor cresceu


RONNY HARTMANN/AFP/JC
A Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada nesta quinta-feira (20) mostra que, em julho, a atividade industrial se aproximou dos indicadores registrados antes da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. O levantamento foi feito com 1.890 empresas de pequeno, médio e grande porte entre os dias 3 e 13 de agosto.
A Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada nesta quinta-feira (20) mostra que, em julho, a atividade industrial se aproximou dos indicadores registrados antes da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. O levantamento foi feito com 1.890 empresas de pequeno, médio e grande porte entre os dias 3 e 13 de agosto.
Os índices de capacidade instalada e produção retratam a retomada do setor. Diante do cenário, cresce o otimismo e a intenção de investir. Após quatro baixas, julho foi o primeiro mês que a indústria registrou aumento no número de empregados.
No indicador da Utilização da Capacidade Instalada (UCI), o movimento de retomada começou mais cedo. Após atingir o menor patamar em abril, quando ficou 49%, o indicador registrou três altas sucessivas, chegando a 67%, apenas 1 ponto percentual abaixo do observado em fevereiro de 2020 e julho de 2019. O último aumento, em julho, foi de cinco pontos.
Expectativas positivas para próximos seis meses
Na avaliação do empresário industrial o horizonte é promissor. O estudo da CNI mostra que o sentimento é de otimismo. Todos os índices de expectativa, que já estavam acima da linha de 50 pontos em julho, continuaram trajetória ascendente em agosto. A expectativa para demanda foi o indicador que registrou o maior valor: 61,4 pontos, um aumento de 4,8 pontos percentuais em agosto na comparação com julho. O índice de expectativa de exportação registrou nova alta, de 1,3 ponto, atingindo 52,4 pontos.
Para compras de matéria prima, a expectativa, após nova alta, ficou 58,7 pontos, uma diferença de 4,4 pontos percentuais na comparação com o mês anterior. O índice de expectativa de número de empregados também cresceu pelo quarto mês seguido. De julho para agosto o indicador foi de 50,4 pontos para 53,5 pontos.
O cenário otimista puxa para cima a intenção de investir. Em agosto, o índice aumentou 4,3 pontos percentuais na comparação com julho e chegou a 51,0 pontos. A alta acumulada desde abril foi de 14,3 pontos e, com isso, o índice voltou a superar a média histórica (hoje em 49,4 pontos). A Sondagem Industrial é realizada mensalmente pela CNI com empresas de diversos perfis e seguimentos.
Comentários CORRIGIR TEXTO