Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Pandemia

- Publicada em 03h00min, 11/08/2020.

Comércio, bares, restaurantes e academias são autorizados a reabrir em Porto Alegre

A prefeitura de Porto Alegre publicou na noite de ontem um novo decreto, liberando a abertura do comércio, academias, bares e restaurantes e construção civil, que já começou a trabalhar nesta segunda e só aguardava uma oficialização. O decreto 20.683 vale até 16 de agosto e atualiza as regras que vigoram desde março na Capital, dentro das ações de combate à pandemia do novo coronavírus.

A prefeitura de Porto Alegre publicou na noite de ontem um novo decreto, liberando a abertura do comércio, academias, bares e restaurantes e construção civil, que já começou a trabalhar nesta segunda e só aguardava uma oficialização. O decreto 20.683 vale até 16 de agosto e atualiza as regras que vigoram desde março na Capital, dentro das ações de combate à pandemia do novo coronavírus.

Lojas de rua e centros comerciais e shopping centers vão poder abrir somente de quarta à sexta-feira, das 10h às 17h. Pela regra do distanciamento controlado estadual para bandeira vermelha, que é a cor de Porto Alegre, o comércio pode abrir também no sábado, mas o prefeito Nelson Marchezan Júnior não incluiu o dia na nova temporada de liberações. Setores do varejo, como shopping, não gostaram do que foi definido, principalmente por não permitir todos os dias da bandeira vermelha.

Restaurantes, bares, padarias, lojas de conveniência e lancherias também poderão ter atendimento presencial. O funcionamento deve ser feito de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h.

Já academias vão poder abrir, atendendo um aluno a cada 16 metros quadrados. O setor volta a operar ao que estava em parte do período que começou a flexibilização. Depois, houve restrição a um aluno por vez, antes de ser definido pelo fechamento no começo de julho.

As medidas eram esperada desde sexta-feira, após diversas rodadas de videoconferências com setores da atividade econômica. A publicação com as novas disposições atrasou porque a Capital enfrentou ação da Justiça estadual por ter adotado abertura do comércio além do que está previsto para bandeira vermelha.

O novo decreto também liberou missas e cultos com limite de até 30 pessoas concomitantes, que valia antes do último fechamento.

Prestação de serviços, inclusive em centros comerciais e shopping centers, podem funcionar somente de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.

Comentários CORRIGIR TEXTO