Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

indústria

- Publicada em 23h05min, 05/08/2020.

Braskem tem prejuízo líquido de R$ 2,476 bilhões no 2º trimestre

Prejuízo é 32% menor que o registrado no primeiro trimestre deste ano

Prejuízo é 32% menor que o registrado no primeiro trimestre deste ano


DANIEL TEIXEIRA/AE/JC
A Braskem reverteu o lucro líquido de R$ 84 milhões no segundo trimestre do ano passado em um prejuízo de R$ 2,476 bilhões entre abril e junho deste ano. O prejuízo é 32% menor que o registrado no primeiro trimestre deste ano, quando foram registradas perdas de R$ 3,649 bilhões. A companhia informou que o prejuízo no segundo trimestre ocorreu, principalmente, por conta da provisão adicional de R$ 1,6 bilhão referente ao evento geológico de Alagoas e do impacto da variação cambial no resultado financeiro com a depreciação do real frente ao dólar.
A Braskem reverteu o lucro líquido de R$ 84 milhões no segundo trimestre do ano passado em um prejuízo de R$ 2,476 bilhões entre abril e junho deste ano. O prejuízo é 32% menor que o registrado no primeiro trimestre deste ano, quando foram registradas perdas de R$ 3,649 bilhões. A companhia informou que o prejuízo no segundo trimestre ocorreu, principalmente, por conta da provisão adicional de R$ 1,6 bilhão referente ao evento geológico de Alagoas e do impacto da variação cambial no resultado financeiro com a depreciação do real frente ao dólar.
O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) recorrente atingiu R$ 1,655 bilhão no segundo trimestre deste ano, alta de 2% na comparação com o mesmo período do ano passado e 26% maior do que o primeiro trimestre deste ano (R$ 1,313 bilhão), também em função da depreciação do real frente ao dólar.
Em dólar, o Ebitda recorrente da companhia chegou a US$ 310 milhões, 5% superior ao primeiro trimestre de 2020, por conta do menor custo de matéria-prima no Brasil, dado o menor custo do estoque, além de menores despesas com vendas, gerais e administrativas no Brasil e México. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o Ebitda recorrente da companhia foi 25% inferior em dólares, em função de menores spreads no mercado internacional e menores volumes devido a covid-19, e 2% superior em reais dada a depreciação do real frente ao dólar.
Segundo dados divulgados nesta quarta, a receita líquida de vendas da companhia caiu 16% no segundo trimestre, para R$ 11,188 bilhões ante R$ 13,337 registrado no mesmo período do ano passado. Em relação a janeiro e março deste ano, a queda é menor, de 11%.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO