Porto Alegre, terça-feira, 28 de julho de 2020.
Dia do Agricultor .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 28 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

trabalho

- Publicada em 18h09min, 28/07/2020. Atualizada em 18h11min, 28/07/2020.

Justiça determina testagem de metroviários após ação de sindicato

Sindimetrô alega que os funcionários estão expostos a aglomerações de pessoas que utilizam trens

Sindimetrô alega que os funcionários estão expostos a aglomerações de pessoas que utilizam trens


LETÍCIA NARDÃO/TRENSURB/DIVULGAÇÃO/JC
A Justiça do Trabalho de São Leopoldo atendeu ao pedido do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexas do RS (Sindimetrô) e determinou, nesta terça-feira (28), a testagem dos trabalhadores em meio à pandemia do novo coronavírus. Os testes deverão ser realizados no prazo de 10 dias, devendo ser repetidos a cada 21 dias, enquanto forem mantidos os decretos estaduais de enfrentamento da Covid-19.
A Justiça do Trabalho de São Leopoldo atendeu ao pedido do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexas do RS (Sindimetrô) e determinou, nesta terça-feira (28), a testagem dos trabalhadores em meio à pandemia do novo coronavírus. Os testes deverão ser realizados no prazo de 10 dias, devendo ser repetidos a cada 21 dias, enquanto forem mantidos os decretos estaduais de enfrentamento da Covid-19.
O não cumprimento da medida implicará multa diária no valor de R$ 2 mil. O despacho é assinado pela juíza do trabalho substituta Daniela Elisa Pastório.
Na ação protocolada no dia 17 de julho, o sindicato alegava que os funcionários ficam expostos a aglomerações de pessoas que utilizam diariamente o transporte na Região Metropolitana de Porto Alegre, "utilizando equipamentos de proteção individual inferiores aos dos profissionais de saúde, com grande probabilidade e possibilidade de contágio da doença".
Já a Trensurb diz que adotou protocolos de afastamentos e de segurança para preservar colaboradores e usuários.
Reportagem do Jornal do Comércio mostrou que, desde o início da pandemia, a Trensurb já havia afastado 76 servidores das funções laborais - 22 por suspeita (sem confirmação), 41 por serem contactantes de casos confirmados e 13 com diagnóstico de Covid-19. De acordo com a estatal, 33 empregados estão atualmente afastados do trabalho, sendo dois por suspeita de contaminação, sete com casos confirmados e outros 24 por serem contactantes de casos confirmados.
Comentários CORRIGIR TEXTO