Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Trabalho

- Publicada em 16h14min, 28/07/2020. Atualizada em 17h52min, 28/07/2020.

Rio Grande do Sul é terceiro estado brasileiro que mais fecha vagas em junho

No primeiro semestre, houve redução de 94.490 postos de trabalho, aponta Caged

No primeiro semestre, houve redução de 94.490 postos de trabalho, aponta Caged


MARCELO G. RIBEIRO/Arquivo/JC
O Rio Grande do Sul registrou a perda líquida de 4.815 postos de trabalho em junho, resultado da diferença de 53.340 admissões e 58.191 demissões, de acordo com os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta terça-feira (28). No primeiro semestre, o saldo ficou negativo em 94.490 empregos. Nos primeiros seis meses do ano, segundo o Caged, ocorreram 448.292 admissões e 542.782 demissões no Estado.
O Rio Grande do Sul registrou a perda líquida de 4.815 postos de trabalho em junho, resultado da diferença de 53.340 admissões e 58.191 demissões, de acordo com os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta terça-feira (28). No primeiro semestre, o saldo ficou negativo em 94.490 empregos. Nos primeiros seis meses do ano, segundo o Caged, ocorreram 448.292 admissões e 542.782 demissões no Estado.
O resultado gaúcho no mês passado foi o terceiro com mais perdas de postos de trabalho, atrás de Rio de Janeiro (fechamento de 16.801 vagas) e de São Paulo (-13.299 empregos). Já no acumulado do primeiro semestre, o Rio Grande do Sul foi o quarto com mais demissões, depois de São Paulo (-364.470 vagas), Rio de Janeiro (-184.928) e Minas Gerais (-114.405).
Em todo o Brasil, as demissões de empregos formais chegaram a 906.444 e as admissões a 895.460, em junho. Com isso, o saldo negativo ficou em 10.984 vagas. No Brasil, no primeiro semestre, o saldo do emprego formal ficou negativo em 1.198.363, resultado de 6.718.276 admissões e 7.916.639 desligamentos.
Comentários CORRIGIR TEXTO