Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Indústria

- Publicada em 18h03min, 27/07/2020. Atualizada em 18h42min, 27/07/2020.

Produção industrial gaúcha sobe em junho, após três meses em queda, diz Fiergs

Indústrias elevam uso da capacidade instalada e indicam otimismo para os próximos seis meses

Indústrias elevam uso da capacidade instalada e indicam otimismo para os próximos seis meses


JIM YOUNG/AFP/JC
A produção industrial gaúcha teve alta em junho, segundo a Sondagem Industrial da Federação das Indústrias do RS (Fiergs), divulgada nesta segunda-feira (27). A pesquisa apontou 55,2 pontos, na cotação das empresas. Pontuação acima de 50 significa aumento de expectativas positivos, pela metodologia da federação. Maio havia registrado 45,1 pontos. O novo levantamento foi feito entre 1º e 13 de julho ouvindo 194 empresas, sendo 39 pequenas, 65 médias e 90 grandes. 
A produção industrial gaúcha teve alta em junho, segundo a Sondagem Industrial da Federação das Indústrias do RS (Fiergs), divulgada nesta segunda-feira (27). A pesquisa apontou 55,2 pontos, na cotação das empresas. Pontuação acima de 50 significa aumento de expectativas positivos, pela metodologia da federação. Maio havia registrado 45,1 pontos. O novo levantamento foi feito entre 1º e 13 de julho ouvindo 194 empresas, sendo 39 pequenas, 65 médias e 90 grandes. 
O setor registrou queda desde março, quando eclodiu a pandemia do novo coronavírus, o que impôs medidas de restrições em diversas áreas, com paralisação da produção em abril em segmentos não essenciais. 
Segundo a Fiergs, o dado de junho foi o melhor resultado para o mês na série histórica. A entidade fez a ressalva que a base de comparação é muito baixa. A utilização da capacidade instalada (UCI), que baliza a produção, teve alta de 62%.
Outro indicador medido pela sondagem é o emprego, que ficou em 45,1 pontos, reduzindo pela quarta vez consecutiva, o que indica enxugamento diante de uma demanda mais fraca pelas restrições, analisa a Fiergs.
Outro indicador que mostra dificuldades é o relacionado com o desempenho financeiro. A sondagem apontou que a satisfação dos empresários com a margem de lucro operacional teve leve alteração, passando de 35 para 35,2 pontos. Já a situação financeira da empresa passou de 40,8 para 42,9 pontos. A frustração com o acesso ao crédito fica clara com a queda de 36,1 para 32,4 pontos neste item. 
Enquanto enfrentam os efeitos imediatos da pandemia. Em compensação, os industriais gaúchos percebem melhora na expectativa para os próximos seis meses. Segundo a Fiergs, Todos os indicadores de junho ficaram acima de 50 pontos, com crescimento da demanda em 56 pontos, emprego (50,7 pontos), compras de insumos e matérias-primas (52,8 pontos) e exportações (51,3 pontos).
A intenção de investir, mesmo que tendo melhor e chegando a 44,4 pontos, ainda sinaliza baixa disposição dos industriais de fazer aportes.
Comentários CORRIGIR TEXTO