Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Infraestrutura

- Publicada em 11h52min, 24/07/2020. Atualizada em 12h09min, 24/07/2020.

Energia solar no Rio Grande do Sul ultrapassa 400 MW

Gaúchos ocupam a segunda posição no ranking nacional de geração fotovoltaica

Gaúchos ocupam a segunda posição no ranking nacional de geração fotovoltaica


FREEIMAGE/DIVULGAÇÃO/JC
Segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Rio Grande do Sul acaba de ultrapassar a marca de 400 MW operacionais em geração distribuída (produção de energia pelo próprio consumidor, modelo que se propagou muito no Brasil através dos painéis fotovoltaicos) a partir da fonte solar. A capacidade significa cerca de 10% da demanda média de eletricidade dos gaúchos. O Estado ocupa a segunda posição no ranking estadual da geração distribuída solar fotovoltaica no Brasil, atrás apenas de Minas Gerais, que recentemente atingiu a marca de 600 MW.
Segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Rio Grande do Sul acaba de ultrapassar a marca de 400 MW operacionais em geração distribuída (produção de energia pelo próprio consumidor, modelo que se propagou muito no Brasil através dos painéis fotovoltaicos) a partir da fonte solar. A capacidade significa cerca de 10% da demanda média de eletricidade dos gaúchos. O Estado ocupa a segunda posição no ranking estadual da geração distribuída solar fotovoltaica no Brasil, atrás apenas de Minas Gerais, que recentemente atingiu a marca de 600 MW.
O Rio Grande do Sul possui atualmente 34.674 sistemas de geração de energia solar em operação nas residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos. Eles abastecem 41.852 consumidores, espalhados por 493 municípios. Com isso, 99,4% das cidades do Estado já possuem pelo menos um sistema solar fotovoltaico em funcionamento.
De acordo com a Absolar, a geração distribuída solar do Rio Grande do Sul representa atualmente 13,5% da potência instalada total da modalidade no Brasil. Um dos destaques no Rio Grande do Sul é a cidade de Caxias do Sul. Sozinha, ela é responsável por 15,4 MW operacionais e ocupa a décima posição no ranking municipal de geração distribuída solar fotovoltaica, dentre todos os municípios do País.
Para a coordenadora estadual no Rio Grande do Sul da Absolar, Mara Schwengber, a região é estratégica no País para o desenvolvimento da fonte solar fotovoltaica. “O Estado possui um grande potencial para a tecnologia fotovoltaica e, com a atual presença da solar na geração distribuída, o mercado contribui de forma significativa para o desenvolvimento sustentável e econômico de toda a região”, comenta.
Comentários CORRIGIR TEXTO