Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 13h30min, 21/07/2020. Atualizada em 13h30min, 21/07/2020.

Bolsas da Europa fecham em alta após aprovação de Fundo de Recuperação

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão com ganho de 0,32%, a 376,70 pontos

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão com ganho de 0,32%, a 376,70 pontos


JOÃO MATTOS/Arquivo/JC
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta terça-feira, 21, no dia em que líderes da União Europeia fecharam um acordo por um socorro de 750 bilhões de euros para os membros duramente afetados pelo coronavírus. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão com ganho de 0,32%, a 376,70 pontos.
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta terça-feira, 21, no dia em que líderes da União Europeia fecharam um acordo por um socorro de 750 bilhões de euros para os membros duramente afetados pelo coronavírus. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão com ganho de 0,32%, a 376,70 pontos.
Na Bolsa de Londres, o FTSE 100 avançou 0,13%, a 6.269,73 pontos. A valorização foi contida pelo aumento das tensões entre a China e as potencias ocidentais, com novo foco no Reino Unido.
O embaixador chinês em Londres, Liu Xiaoming, disse que os britânicos terão que "suportar as consequências" da decisão de suspender o acordo de extradição com Hong Kong.
O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, conversou sobre o assunto com o primeiro-ministro Boris Johnson e o ministro das Relações Exteriores, Dominic Raab, em reuniões nesta terça.
Nas demais praças europeias, os índices acionários operaram em território positivo durante todo o dia.
O DAX, de Frankfurt, fechou em alta de 0,96%, a 13.171,83 pontos, enquanto o CAC, de Paris, se elevou 0,22%, a 5.104,28 pontos.
Em Milão, o FTSE MIB subiu 0,49%, a 20.723,42 pontos.
Depois de um final de semana de intensas negociações, os líderes da UE finalmente acertaram os termos do pacote de resgate das economias atingidas pela pandemia. A cifra total do projeto permaneceu como a proposta no rascunho inicial, 750 bilhões de euros.
A mudança ocorreu no volume de subsídios diretos, que caiu de 500 bilhões de euros para 390 bilhões de euros. O restante será composto por empréstimos a juros baixos.
Desde o princípio, Holanda, Suécia, Dinamarca e Áustria se mostraram contrários à ideia de repassar recursos aos países sem nenhuma contrapartida. O quarteto foi convencido a aceitar o montante final com a promessa de que cada um deles terá descontos nos valores que devem destinar ao orçamento do bloco.
"O tamanho e o escopo do acordo são históricos e abrem caminho para um maior federalismo dentro da UE, que poderia tornar a Europa um mercado mais integrado e um concorrente econômico mais forte no cenário global", analisa a BK Asset Management.
Em Madri, o Ibex 35 avançou 0,22%, a 7.494,50 pontos.
Já o PSI 20, de Lisboa, ganhou 0,27%, a 4.545,81 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO