Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estiagem

- Publicada em 13h13min, 15/07/2020. Atualizada em 14h26min, 15/07/2020.

Governo do Estado anuncia R$ 55 milhões para construção de poços artesianos e açudes

Estiagem no Rio Grande do Sul levou rios do Estado a alguns dos menores níveis em muitas décadas

Estiagem no Rio Grande do Sul levou rios do Estado a alguns dos menores níveis em muitas décadas


CPRM/Divulgação/JC
Thiago Copetti
Os 412 municípios gaúchos que enfrentaram problemas com a estiagem neste ano receberão apoio de máquinas, recursos e apoio do governo do Estado, da Assembleia Legislativa, do Ministério de Desenvolvimento Regional e do Exército para a construção de poços artesianos e açudes.
Os 412 municípios gaúchos que enfrentaram problemas com a estiagem neste ano receberão apoio de máquinas, recursos e apoio do governo do Estado, da Assembleia Legislativa, do Ministério de Desenvolvimento Regional e do Exército para a construção de poços artesianos e açudes.
O pacote de R$ 55 milhões anunciado no final da manhã desta quarta-feira (15), em live realizada pelo governador Eduardo Leite, porém, também teve momentos de questionamentos sobre a agilidade na futura execução dos projetos.
Neste pacote de obras, o Exército foi chamado a apoiar com sua força de trabalho e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) ficará responsável por parte das ações, já que o déficit hídrico afeta também abastecimento de água potável, por exemplo, além dos danos à agricultura. A capacidade de a Funasa operar o projeto que prevê a construção de mais de 1 mil açudes e poços artesianos no Rio Grande do Sul, porém, foi questionado fortemente pelo deputado Federal Alceu Moreira (MDB/RS), que participou da videoconferência ao vivo, juntamente com a coordenadora da fundação no Estado, Karla Rech.
“Nos preocupa a capacidade de execução. Em recente reunião de parte da bancada federal com a Funasa, não saímos satisfeitos com o resultado. Nada contra a fundação, mas a Funasa tem recursos de emendas que desde 2006 que não consegue executar por falta de gente”, criticou Moreira.
O deputado pediu que o Palácio Piratini reconsideração no projeto quem ficaria responsável pelas obras. “É necessário ficar claro quem vai fazer o que, e onde”, defendeu o deputado.
Moreira também pediu que se colocassem mais recursos para finalizar as obras das barragens de Taquarembó e Jaguari, na Metade Sul do Estado.
“ A busca pela garantia da execução é que mobiliza o governo do Estado e tenho confiança de que todos esses recursos chegarão na ponta, ou seja, nos 412 municípios que necessitam”, respondeu Leite aos questionamentos de Moreira.
Do total de R$ 55,1 milhões anunciados, R$ 10 milhões serão repassados pela Assembleia Legislativa (AL).Com os recursos da AL,  detalhou o presidente do parlamento gaúcho, Ernani Polo, serão feitos 1.025 microaçudes em 102 municípios e 55 poços artesianos em 55 municípios. O restante dos recursos virá de emendas parlamentares (R$ 29,1 milhões), do Ministério do Desenvolvimento Regional (R$ 6 milhões) e do governo do Estado (R$ 10 milhões).
Polo também solicitou a Leite empenho, agora, para a recuperação das estradas vicinais do interior que foram destruídas nas recentes chuvas, o que está dificultando escoar a produção agrícola e o deslocamento de famílias que vivem no campo.
Comentários CORRIGIR TEXTO