Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h11min, 13/07/2020. Alterada em 08h11min, 13/07/2020.

Bolsas asiáticas fecham em alta, atentas à temporada de balanços dos EUA

Nikkei avançou 2,22% em Tóquio, a 22.784,74 pontos

Nikkei avançou 2,22% em Tóquio, a 22.784,74 pontos


Behrouz MEHRI/AFP/JC
As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta segunda-feira (13), retomando o otimismo recente com a recuperação da economia global e à espera da nova temporada de balanços dos EUA, apesar de preocupações com o avanço do coronavírus pelo mundo.
As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta segunda-feira (13), retomando o otimismo recente com a recuperação da economia global e à espera da nova temporada de balanços dos EUA, apesar de preocupações com o avanço do coronavírus pelo mundo.
Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 1,77%, a 3.443,29 pontos, se recuperando de uma queda na sexta-feira (10) que interrompeu um rali de oito pregões consecutivos de ganhos. O menos abrangente Shenzhen Composto teve desempenho ainda mais expressivo hoje, com alta de 3,48%, a 2.329,40 pontos.
Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei avançou 2,22% em Tóquio, a 22.784,74 pontos, impulsionado por ações de montadoras e ligadas a eletrônicos, enquanto o sul-coreano Kospi se valorizou 1,67% em Seul, a 2.186,06 pontos, o Hang Seng teve ganho modesto de 0,17% em Hong Kong, a 25.772,12 pontos, e o Taiex registrou alta de 1,14% em Taiwan, a 12.211,56 pontos.
Investidores da região asiática e de outras partes do mundo vão ficar atentos nesta semana à temporada de balanços dos EUA, que amanhã trará informes trimestrais de alguns dos maiores bancos do país. É possível que as empresas americanas surpreendam positivamente, uma vez que indicadores da maior economia do mundo têm superado as expectativas e sugerido uma retomada mais rápida do que se imaginava do violento choque do coronavírus.
A doença, no entanto, não tem dado trégua. Ontem, a Organização Mundial de Saúde (OMS) relatou mais um recorde global de casos confirmados de Covid-19 num período de 24 horas, de mais de 230 mil. Os EUA permanecem como o maior foco de preocupação. Apenas a Flórida registrou mais de 15 mil novas infecções, o maior total diário de qualquer estado americano desde o começo da pandemia.
Na Oceania, a bolsa australiana seguiu a Ásia, e o índice S&P/ASX 200 avançou 0,98% em Sydney hoje, a 5.977,50 pontos, também reagindo à disseminação mais lenta do coronavírus no estado de Victoria, no sudeste do país.
Comentários CORRIGIR TEXTO